Número de engenheiros atuantes no Brasil deve ser de até 1,8 milhão em 2020

Segundo o Ipea, no mesmo período, demanda por engenheiros ficará entre 600 mil e 1,15 milhão de profissionais

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O número de engenheiros atuantes no mercado brasileiro deve chegar a algo entre 1,5 milhão e 1,8 milhão em 2020, segundo revelam dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

De acordo com o estudo, dependendo, entre outros fatores, da expansão do ensino superior nas áreas de Engenharia, em dez anos, encerrados em 2020, estima-se que o número de concluintes dos cursos de Engenharia cresçam a uma taxa média anual entre 6,53% e 9,49% ao ano.

Entre 2000 e 2008, lembra o Ipea, o número de Engenheiros adicionados anualmente ao mercado de trabalho cresceu a uma taxa média de 8,70%.

Aprenda a investir na bolsa

O Ipea lembra, contudo, que tando no que diz respeito aos engenheiros já formados, como no caso dos profissionais estimados, uma parcela desta população acaba se empregando em outras ocupações que não as típicas de sua área de formação, sendo que em 2001, por exemplo, o percentual de engenheiros que não estavam empregados em ocupações típicas da área era de 69%.

Demanda
No que diz respeito à demanda por engenheiros no mercado de trabalho em 2020, O Ipea acredita que ficará entre 600 mil e 1,15 milhão de profissionais, conforme o crescimento da economia.

O setor de petróleo e gás deve ser um dos que mais vai demandar profissionais da área no período, com expansão entre 13,3% e 19,3% ao ano, dependendo do cenário econômico, conforme é possível observar na tabela a seguir:

Crescimento anual médio setorial de emprego para engenheiros no Brasil
SetorDe 2000 a 2010De 2011 a 2020
Petróleo e gás17,6%De 13,3% a 19,3%
Administração pública, saúde e educação11%De 6,2% a 16%
Indústria extrativa mineral10,3%De 8,7% a 12,1%
Construção residencial8,4%De 5,3% a 13,4%
Indústria de transformação8,4%De 3,2% a 13,5%
Demais setores7,9%De 5,1% a 11,3%
Serviços de informação, intermediação financeira e serviços prestados a empresas6,3%De 4,6% a 9,4%
Infraestrutura3,1%De 1,7% a 4,8%
Todos os setores8,1%De 5,1% a 13%