RADAR INFOMONEY Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Número de empregos criados em janeiro aumentou 32,75%, aponta Manager

Consultoria afirmou que o mês foi o melhor dos últimos dois anos, com destaque para os estados de São Paulo e Rio de Janeiro

SÃO PAULO – A quantidade de empregos criados em janeiro foi 32,75% maior do que a verificada no mesmo período de 2007, revelou a Manager Assessoria em Recursos Humanos. O mês passado foi o melhor dos últimos dois anos.

Em pesquisa divulgada nesta segunda-feira (11), a empresa contabilizou 3 mil novas vagas no primeiro mês do ano. Segundo a pesquisa, os dados refletem o momento positivo da economia brasileira. “As empresas estão investindo, há mais emprego e mais renda, o que estimula o consumo e a geração de novas vagas de trabalho” disse Hélio Terra, presidente da Manager.

São Paulo se destacou na geração de emprego, com 37,50% do total. Em seguida, vieram Rio de Janeiro (19,32%), Paraná (11,39%), Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia, com 17%, juntos.

Setor industrial mais que dobra

A área Industrial foi a que registrou melhor desempenho em janeiro, com representatividade de 24,45% no número de vagas abertas. As áreas Administrativa (22,82%) e Comercial (20,03%) vieram em seguida. Recursos Humanos ficou com a quarta posição, com 11% das vagas abertas.

Nas demais posições, ficaram as áreas de Tecnologia da Informação (7,14%), Compras/Logística e Suprimento (6,95%), Financeira (5,82%) e Jurídica (1,18%).

Os profissionais de engenharia continuaram encontrando o maior número de novas vagas (33,21%). Já os formados em administração ficaram em segundo lugar, com 22,80% das ocupações. Por outro lado, os profissionais de Psicologia (3,55%) e de Publicidade, Comunicação e Marketing (3,91%) ficaram com as últimas colocações.

Vagas

De todas as vagas criadas em janeiro, 18,46% foram em postos de alta gerência/diretoria. A gerência ficou com 49,70% dos novos postos de trabalho, e os técnicos, supervisores e assistentes, com 31,84%.