No último ano, engenheiros tiveram os maiores reajustes salariais

Esses profissionais conseguiram aumentos que variam de 7,06% a 17,61%, segundo levantamento da Catho Online

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os profissionais que atuam na área de engenharia foram os que receberam os maiores aumentos salariais do último ano. O reajuste chegou a ser de 17,61%, considerando o período entre outubro de 2009 e o mesmo mês deste ano, como mostra a Pesquisa Salarial e de Benefícios da Catho Online.

O percentual foi verificado entre os profissionais da área de Engenharia Geológica/Cartográfica. Já os engenheiros que atuam com Mecatrônica obtiveram um aumento de 14,46%, ficando sem segundo lugar na lista das áreas que conseguiram os maiores aumentos no último ano.

Para a Catho, a predominância das engenharias na lista dos profissionais que obtiveram os maiores reajustes está ligada ao crescimento da economia, que permite um maior desenvolvimento de infraestrutura. “Esse quadro é reforçado ao se considerar que as áreas de engenharia que mais cresceram são voltadas para o fornecimento de soluções para empresas e não para fabricação de produtos ao consumidor”, avaliaram os pesquisadores.

Aprenda a investir na bolsa

Os maiores aumentos dos últimos anos
Entre outubro de 2010 e outubro de 2009, o engenheiro civil conseguiu um aumento médio de 12,75% na remuneração. Já quem atua com Engenharia de Qualidade e de Obras angariou uma elevação de 12,71% e 12,68% em seus salários.

Aqueles que trabalham com Engenharia Naval, de Minas e do Meio Ambiente sentiram elevações de 11,41%, 11,40% e 11,07%, respectivamente, no período. Outras engenharias constam entre as áreas que obtiveram os maiores aumentos salariais no último ano, conforme tabela a seguir.

Áreas que mais cresceram no último ano (out 2009/out 2010)
Áreas  Crescimento salarial (%) 
Engenharia Geológica 17,61% 
Engenharia Mecatrônica 14,46%
Telecomunicações – Comutação 12,76%
Engenharia Civil12,75%
Engenharia de Qualidade 12,71%
Engenharia de Obras12,68%
Almoxarifado 12,34%
Engenharia Naval11,41%
Engenharia de Minas 11,40%
Engenharia do Meio Ambiente 11,07%
Arquitetura10,91%
Industrial – Fundição e Tratamento Térmico 10,16%
Engenharia de Assistência Técnica 9,43%
Recursos Humanos – Restaurante 9,27%
Segurança do Trabalho9,25%
Engenharia de Produção8,28%
Direito do Consumidor 7,58%
Medicina do Trabalho7,49%
Engenharia Têxtil7,32%
Engenharia de Manutenção 7,06%

Ramos de atividade
Na análise dos reajustes por ramo de atividade, o Segmento de Mineração, Extração de Óleo e Gás registrou um reajuste de 32,34% acima da média nacional. Já o ramo de Fabricação de Refinaria de Petróleo e Correlatas ficou com um reajuste no período de 23,96% acima da média nacional.

Em terceiro lugar na lista, está o ramo de Fabricação de Equipamentos e Transporte, que obteve um aumento de 23,76% acima da média. Para a Catho, mesmo observando os reajustes salariais por ramo, a percepção da valorização dos profissionais que atuam com áreas ligadas à infraestrutura se revela ainda mais forte.

“A análise de salários tem muito a ver com os principais setores que movimentam a economia brasileira hoje e que estão recebendo destaque”, afirmou, por meio de nota, o diretor da pesquisa da Catho, Marco Antonio Soraggi. “Nos últimos anos, construção civil e indústria automobilística mantiveram-se bastante aquecidos, mesmo em períodos de turbulência da economia. O que chama a atenção é a alta do setor de energia, especialmente de extração de óleo e gás, que certamente decorre do grande investimento na camada de óleo do pré-sal”.