No mercado de trabalho, é preciso ser gestor e líder ao mesmo tempo

Para garantir vaga em ambiente de concorrência, profissional deve saber lidar com pessoas e com projetos

SÃO PAULO – Enquanto algumas pessoas se destacam pela facilidade de relacionamento com os demais, outras já são mais práticas e conseguem um melhor desempenho no desenvolvimento de trabalhos técnicos. As descrições acima são, respectivamente, correspondentes às habilidades de um líder e de um gestor de uma empresa.

No entanto, num mercado de trabalho cada vez mais disputado, quanto mais habilidades o profissional tiver, mais chance ele terá de chegar ao sucesso tão almejado. Por isso, não basta ser líder nem gestor, é preciso ser os dois, de acordo com o diretor-executivo do Insadi (Instituto Avançado de Desenvolvimento Intelectual), Dieter Kelber.

Definição

De acordo com o dicionário Aurélio, um líder é a pessoa que chefia, comanda e/ou orienta uma equipe, bem como a representa. Ele tem habilidades bastante distintas dos demais profissionais porque consegue se relacionar com pessoas, não somente com projetos. Isso o difere do gestor, que não é pautado pela sensibilidade com o subordinados.

Quem gere ou administra um negócio, bens ou serviços, tendo em mente questões de marketing, valores, projetos em si, são os gestores das empresas. Eles conseguem, diferentemente do líder, tocar o projeto e ver as necessidades da empresa, bem como cumprir prazos e limites de verbas.

Líder e gestor se completam

Manter dois profissionais com características isoladas pode custar muito para as empresas. Por isso, para você garantir seu cargo, é preciso ser gestor e também líder ao mesmo tempo: ser criativo; saber comandar um grupo com sensibilidade, como um líder; ser eficiente e estratégico, como um gestor.

Segundo o diretor-executivo, é preciso ser um “Lidestor”, a união das duas funções. “A habilidade que desponta como uma das mais importantes é trabalhar com a “cabeça e o coração” (racional e emocional), conforme os cenários exijam soluções que empreguem a ciência ou a arte. A ética, o caráter, a estabilidade emocional, juntamente com a responsabilidade em agir de acordo aos preceitos do desenvolvimento sustentável, mesmo em situações extremas, é essencial”, afirmou Kelber.