Nível de atividade da indústria de São Paulo cresce 1,5% em fevereiro

Na comparação sem ajuste sazonal, aumento foi de 1,4%; vendas ficam estáveis e capacidade instalada sobe

SÃO PAULO – O INA (Indicador de Nível de Atividade) da indústria paulista subiu 1,5% em fevereiro deste ano ante o mês anterior, considerando ajuste sazonal. Na comparação sem o ajuste, houve aumento de 1,4%, enquanto em relação a fevereiro do ano passado, o indicador teve forte alta de 13,1%.

As vendas reais da indústria de São Paulo permaneceram estáveis no confronto com o primeiro mês de 2008, sem considerar ajuste sazonal. Contudo, na comparação com fevereiro do ano passado, as vendas tiveram uma expansão de 6,8%.

Capacidade instalada

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria de transformação paulista ficou em 81,9% em fevereiro, levemente acima do patamar verificado no mês de janeiro, de 81,6%. Em fevereiro de 2007, essa variação foi de 79,0%.

PUBLICIDADE

O setor que registrou o maior índice de utilização da capacidade no último mês foi o de coque, refino de petróleo, combustível nuclear e produção de álcool, com 92,9%, seguido pelo segmento de metalurgia básica, com 92,0%.

Já a indústria com o menor nível de uso da capacidade foi a de edição, impressão e reprodução de gravações, com 67,9%, sucedida por material eletrônico e equipamentos de comunicação, com 71,1%.

Outros dados

As horas trabalhadas na produção avançaram 3,3% em fevereiro na comparação com janeiro, enquanto o total de horas pagas na indústria subiu 0,7% e o total de salários reais pagos pelas indústrias paulistas avançou 1,5%, usando a mesma base de comparação.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (27) pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e pela Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo).