Networking ambulante: qual é a importância de guardar um cartão de visitas?

Ao se deparar com vários cartões, fica difícil memorizar em qual situação aquele cartão foi recebido. É bom se organizar!

SÃO PAULO – Frequente nas reuniões ou eventos corporativos, o cartão de visitas é uma importante ferramenta de networking.
Porém, ao se deparar com vários cartões, fica extremamente difícil memorizar em qual situação aquele cartão foi recebido e, principalmente, qual é a relação que aquela pessoa pode ter com a sua carreira.

De acordo com o gestor de comunicação e marketing da Milioni & Associados, Raphael Cruz, o cartão de visitas é a identidade da empresa ou pessoal.

“O cartão de visitas é muito útil para fazer o networking, que mantém atualizada a sua rede de contatos, além de possibilitar a troca de informações. Dessa forma, uma rede de contatos ativa significa mais oportunidades de negócios”.

Modelo ideal

Segundo Cruz, não há um modelo de cartão de visitas ideal. Porém, antes de criar um cartão para si, a pessoa precisa responder as seguintes questões: quais são os meus clientes ou o público eu quero atingir? Em que tipo de empreendimento eu trabalho? Qual é a minha marca?

“Num cartão de visitas, você precisa evitar: informações incoerentes, falta ou excesso de dados, letras ilegíveis, cartões de visitas amassados, sujos e guardados em locais de difícil acesso. Vale lembrar que, ao entregar um cartão, você está se apresentando e, por isso, uma “venda”pode ser influenciada de maneira positiva ou negativa no ato da entrega”.

Gafes

Ao receber um cartão, qual é a sua atitude? Coloca imediatamente no bolso sem olhar? Dobra o cartão? Erra o nome da pessoa, depois de ter recebido o cartão? Deixa-o na mesa de reunião?

Na opinião de Cruz, esses são os erros
mais comuns de quem recebe um cartão de visitas. E toda essa situação constrangedora poderia ser evitada com a organização.

Como organizar?

Para o diretor de tecnologia da Arquivar, empresa especializada em gestão estratégica de documentos, Mario Pinho Sobrinho, a organização é fundamental na hora de consultar um contato.

“Ao armazenar um cartão de visitas nas famosas carteiras, depois de cinco meses, você perde a referência. Com isso, os cartões transformam-se em uma montanha de papel. O aconselhável é criar uma base de dados para os cartões”.

PUBLICIDADE

Mas como criar essa base de dados? Sobrinho destaca que há diversas ferramentas que podem auxiliar nessa jornada.

“O Outlook, por exemplo, oferece uma lista de contatos bem completa, na qual o usuário pode colocar o nome, cargo, endereço, contatos e informações sobre determinada pessoa. Além disso, você pode criar uma boa base de dados em uma planilha do Excel e até digitalizar o cartão de visitas, com scanners especiais que leem todos os dados automaticamente e repassam para a planilha desejada”.

Dicas

Sobrinho ressalta que ao fazer uma base de dados para os cartões de visita, o campo de observações deve ser bem utilizado.

“Por ser um espaço livre, o campo de observações pode guardar dados importantes e que fazem a diferença, como a data de aniversário, os gostos daquela pessoa, as circunstâncias em que você conheceu o dono do cartão e, principalmente, a maneira como aquela pessoa pode ajudar a sua carreira no futuro”

Cruz, por sua vez, ressalta que, em uma reunião com uma ou mais pessoas, é importante deixar o cartão em um local de fácil acesso para todos os participantes.