Negociações salariais em 2004 rendem os maiores ganhos em nove anos

Pesquisa do Dieese mostra que 81% dos casos analisados resultaram em aumentos iguais ou superiores à inflação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As negociações salariais em 2004 resultaram nos ganhos mais significativos para os trabalhadores em nove anos, segundo pesquisa realizada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos).

No ano passado, cerca de 81% dos casos apurados pelo estudo apresentaram reajustes salariais iguais ou superiores à inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Em 2003, esta parcela havia alcançado apenas 41,6% das negociações e, em 2000, data do recorde anterior, não passara de 66,7%.

Considerando-se apenas os ganhos efetivos de salários, ou seja, as correções acima da inflação, a representatividade em 2004 fica em 55% das negociações.

Ganhos são maiores no Sul

De acordo com a pesquisa do Dieese, a região brasileira onde houve maior incidência de aumento real ou correção dos salários pela inflação foi o Sul, com média de 87% dos casos. Na seqüência, aparece o Sudeste, onde 80,5% das negociações resultaram em acréscimos iguais ou acima da inflação. Logo atrás ficam as regiões Nordeste (72,7%), Centro-Oeste (70%), e Norte (66,6%).

Em se tratando dos setores econômicos, o melhor resultado foi apurado na indústria, com 87% de reajustes pelo menos em nível similar ao do INPC. Nesta categoria, 67% dos casos corresponderam a ganhos superiores à inflação. O comércio fica em segundo lugar, com 82%, e depois vem o setor de serviços, registrando média de apenas 71%.

Vale destacar que o Dieese analisou 658 negociações realizadas ao longo do ano passado. Utilizado como parâmetro inflacionário pela pesquisa, o INPC, apurado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é comumente empregado no cálculo das recomposições salariais.