Natal deve ter preço mais baixo e mais desemprego

Avaliação é do Dieese, lembrando que com a entrada maior de produtos importados no País, a competitividade aumenta e beneficia o consumidor

SÃO PAULO – Os produtos de Natal devem ser encontrados com preços mais baixos nas prateleiras no final deste ano. Por outro lado, empregos podem ser eliminados. O motivador de tudo isso? A entrada de produtos importados no Brasil.
A avaliação foi apresentada nesta segunda-feira (16) pelo diretor do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio, em entrevista à Rádio Nacional.
Competitividade

Segundo o economista, com a maior entrada de produtos de outros países no comércio brasileiro, que na maioria das vezes são mais baratos, as fabricantes nacionais precisam baixar seus preços para manter a competitividade.
Esse quadro, somado à inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que deve encerrar o ano em 3%, como previu nesta segunda-feira o Relatório Focus do Banco Central, favorecerá o consumidor.
Problema

Lúcio explicou que ao importar, o País deixa de criar empregos. “Esse é um problema que afeta o outro lado, ou seja, teremos menos trabalhadores com renda para comprar, o que aconteceria se tivéssemos mais empregos gerados na economia”, afirmou.
Segundo Lúcio, “quando a importação é deste tipo e não complementa a nossa pauta de produtos, porque não produzimos tudo, isso acaba eliminando empregos aqui no Brasil”.
Os setores afetados devem ser os de brinquedos e vestuário.

PUBLICIDADE