Trabalho

Não cumpriu nem a metade do planejamento do ano? Recupere o tempo perdido

Ao perceber que suas metas estão distantes demais de serem alcançadas, vire o jogo! Um novo planejamento pode ser a solução para os seus problemas

SÃO PAULO – O começo do ano chega e muitos profissionais já têm em mente o que desejam conquistar ao longo do ano. As metas, prazos e benefícios já estão ali rabiscados no planejamento do colaborador. E tudo até poderia ser simples e fácil, mas para concretizar um plano é preciso, primeiramente, colocá-lo em prática, e isso, nem todos os colaboradores conseguem fazer.

Assim, se você chegou no mês de agosto e percebeu que não cumpriu nem a metade do seu planejamento, não se desespere! Ainda dá tempo de recuperar o tempo perdido. “Quando o profissional identifica os gaps do seu planejamento ele não deve entrar em pânico. O medo e a ansiedade diminuem a capacidade de encontrar as melhores alternativas para contornar a situação”, explica o consultor organizacional e especialista em desenvolvimento humano, Eduardo Shinyashiki.

Passo a passo
O primeiro passo para quem deseja reverter um quadro de atrasos é a redefinição das prioridades definidas anteriormente. Como restam apenas quatro meses para o fim do ano, o novo planejamento deve ser mais enxuto e simples que o primeiro, por isso, considere a possibilidade de adiar alguns planos para o ano seguinte.

PUBLICIDADE

“O presente deve ser aproveitado para dar conta do que é mais urgente e seja qual for o saldo parcial, lembre-se que ainda há tempo para fazer a sua carreira evoluir neste ano”, aconselha Shinyashiki.

Como dica, quem se encontra nesta situação pode agendar os próximos check-points, que podem ser mensais ou quinzenais, de acordo o tipo de meta a ser definida. “A ideia é que o profissional não aguarde mais pelo ‘Dia D’ para ver a quantas anda o seu planejamento, mas que ele entre em ação para fazer a diferença”, diz o consultor.

Outra recomendação importante a ser considerada é que o profissional determine apenas aquilo que realmente pode ser feito. “Ele deve aprender com o erro de planejamento e rever a meta considerando um ajuste daquilo que realmente será viável”, diz a especialista em soluções para capital humano da De Bernt Entschev Human Capital, Sônia Helena Garcia.

Segundo ela, muitos profissionais erram ao tentar se comprometer com metas absurdas e prazos inadequados de execução.

Onde erram os profissionais
Entre os fatores que levam os profissionais ao erro estão, principalmente, a não observância dos prazos, a falta de atitude e os problemas de organização. Por isso, se você pretende dar continuidade aos seus projetos de forma calma e tranquila, veja à seguir quais são os principais equívocos cometidos pelos colaboradores do mercado e fuja deles.

Metas sem sentido real: motivação é importante, mas mais do que isso é que as metas definidas por você estejam alinhadas com suas próprias expectativas, e claro, com a realidade. Como dica, procure fazer seu planejamento considerando sempre metas que possam ser alcançadas.

PUBLICIDADE

Visão de curto prazo: objetivos não se constroem de uma hora para outra, pelo contrário, exigem esforços diários para que venham a se concretizar apenas no médio e longo prazo. Não adianta imaginar que em seis meses você será o gestor de sua área se neste momento você é apenas o estagiário, não é mesmo? Planeje em uma folha de papel quais as metas que você deseja alcançar e considere sempre o tempo que precisará para isso.

Falta de avaliações periódicas: para saber se estamos indo bem ou não é preciso fazer comparações periódicas. Agindo deste modo, é possível mensurar o próprio desempenho e evitar um belo susto no meio do ano, quando muitos colaboradores descobrem que ainda estão distantes demais de bater as próprias expectativas. Como solução, faça comparações mensais e semestrais do seu desempenho, assim, se perceber que algo está fora do esperado terá mais tempo de entrar em ação.

Falta de atitude: ter um objetivo não significa necessariamente que ele vá acontecer, principalmente se você não fizer nada para isso. É preciso atitude! Lembre-se que o seu planejamento certamente não sairá do papel se você não se esforçar para que ele saia.

Foco em baixa: nem todos são abençoados com o dom da organização. Por isso, se você tem problemas nessa área e não consegue manter o foco em uma atividade, peça a ajuda de outros profissionais. Ás vezes, uma mãozinha pode ser tudo o que você precisa para se planejar melhor.