Na ponta da língua: dicas para aprimorar o português sem gastar muito

Dominar a comunicação escrita e oral significa um ganho de qualidade do trabalho e produtividade

SÃO PAULO – “As pessoas colocam no currículo que têm o inglês fluente ou o espanhol fluente. Aí eu me pergunto: e o português é fluente? Dominar a comunicação escrita e oral significa um ganho de qualidade do trabalho e produtividade. O português é essencial em qualquer área”, sublinha a professora de português e palestrante do CEAD/Contmatic Phoenix, Rosangela Silva.

Ela cita como exemplo situações cotidianas que causam constrangimentos, como o envio de e-mails para superiores e clientes com erros de português. O incidente ocorre comumente, por exemplo, na área comercial, que é um dos departamentos das empresas que mais usa as mensagens eletrônicas para se comunicar.

O erro, geralmente, não ocorre por falta de conhecimento do português, mas pela pressa e por vícios de uso. “Não é raro o profissional enviar um e-mail utilizando a mesma linguagem que usa com amigos, em conversas informais. É uma linguagem em que as pessoas se entendem, mas não considera acentuações. São usadas muitas abreviaturas hipotéticas, que não existem na gramática. Por exemplo, att (de atenciosamente) e sdc (de saudações) não estão de acordo com a norma gramatical”.

PUBLICIDADE

Na linguagem que utilizamos ao conversar com amigos pela internet, tendemos a escrever da mesma forma como falamos. Por força de costume, o profissional pode usar esse português informal no trabalho. Daí a importância de ler a mensagem antes de enviá-la, mesmo com a falta de tempo, e, se possível, aplicar o corretor gramatical.

Dicas

Para aprimorar o português, Rosangela recomenda manter na mesa do escritório uma gramática moderna, com linguagem acessível, e um dicionário. Embora a internet ofereça inúmeras ferramentas que permitem a consulta a dicionários, a boa e velha versão de papel é insubstituível, uma vez que é muito rica em informações e fornece, junto aos verbetes, dados gramaticais. E tire as dúvidas. “Dúvidas todos nós temos, o ruim é ficar com elas”.

O outro conselho é: leia, reflita e discuta. A leitura é importante, já que permite a ampliação do leque de palavras do vocabulário. “Ao conhecer mais palavras, o profissional se comunica melhor”. A dica é para que a leitura seja agradável, o que inclui gibis, revistas e até bulas de remédio. “Fica mais fácil de absorver as informações”.

Quanto às leituras na internet, tome cuidado, uma vez que muitos sites contêm erros de português. “Prefira sites credenciados”, recomenda a professora.

Após a leitura, Rosangela diz que é vital refletir sobre o que leu e, na medida do possível, discutir com alguém. A atitude favorece a capacidade de interpretar os textos, o que facilita o uso correto das normas gramaticais. “Gramática é muito mais interpretação de texto do que regras que precisam ser decoradas”.