Mundo: desemprego entre jovens não deve reduzir até 2016, diz OIT

A estimativa é que haverá cerca de 75 milhões de jovens desempregados de entre 15 e 24 anos este ano

SÃO PAULO – A taxa mundial de desemprego entre os jovens não deve diminuir até 2016. É o que releva o relatório de Tendências Mundiais de Desemprego Juvenil 2012 da OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Segundo a organização, o desemprego atingirá 12,7% dos jovens este ano, indicador que permanece invariável desde 2009, época mais crítica da crise econômica internacional, e um pouco superior a taxa do ano passado, que era de 12,6%.

A estimativa é que haverá cerca de 75 milhões de jovens desempregados de entre 15 e 24 anos em 2012, um aumento de aproximadamente 4 milhões desde 2007.

PUBLICIDADE

Educação
Para a OIT, a taxa de desemprego terá uma pressão adicional quando os jovens que prolongam sua permanência no sistema educacional devido à falta de oportunidades finalmente entrarem no mercado laboral.

“A crise do desemprego juvenil pode ser superada, mas somente se a criação de emprego para os jovens for convertida em uma prioridade essencial na tomada de decisões políticas, e se forem intensificados os investimentos do setor privado de maneira significativa”, explicou o diretor-executivo do setor de emprego da OIT, José Manuel Salazar-Xirinachs.

Ele acredita que para o desemprego juvenil diminuir é necessário que os países ofereçam facilidades fiscais e outros incentivos às empresas que contratem jovens; além de esforços para reduzir a defasagem entre as qualificações dos jovens e programas de capacitação empresarial que integrem a formação profissional.