Mulheres chefiam quase 30% das famílias brasileiras, segundo IBGE

De acordo com levantamento, das 56,1 milhões de famílias brasileiras, 29,4% tem uma mulher no comando

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As famílias brasileiras já não são mais as mesmas. É que 29,4% dos 56,1 milhões de famílias que vivem em território nacional já eram chefiadas por mulheres em 2004.

Os dados são da Síntese dos Indicadores Sociais, elaborada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com base na PNAD 2004 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), e foram divulgados nesta quarta-feira (12).

Diferença também na idade

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com o levantamento, 27,4% das mulheres que chefiavam o domicílio naquele ano estavam na faixa dos 60 anos ou mais de idade. Só no Rio de Janeiro, esse percentual chega a 33,9%, o maior do País. Já entre os homens responsáveis pela família, a maioria (35,3%) tinha entre 25 e 39 anos de idade.

Dentre as famílias chefiadas por homens, 25,1% delas viviam com até meio salário mínimo per capita, enquanto nas chefiadas por mulheres essa proporção subia para 29,6%.

Regionalmente, contudo, a pesquisa notou fortes diferenças. Nas regiões Norte e Nordeste, mais de 40% das famílias com mulheres à frente viviam com até meio salário mínimo per capita. Na outra ponta, destaca-se a região Sul do País, em que tal proporção caía para 17,4%.

Diferenças

Em 2004, as famílias com chefia masculina eram diferentes daquelas chefiadas por mulheres. Enquanto no primeiro caso 33,6% das famílias eram formadas por casais com todos os filhos menores de 14 anos, ou com todos os filhos de 14 aos ou mais de idade (21,4%), no caso da chefia feminina, 31,4% das famílias eram compostas por mães com todos os filhos de 14 anos ou mais de idade; 25,6% eram enquadradas como “outros tipos de família” e 23,2% eram compostas por mães com todos os filhos com menos de 14 anos.

Vida conjugal

Essas casas chefiadas pela mulher não costumam contar com a presença do marido, ou são compostas de forma diferenciada, como duas irmãs morando juntas ou pela própria mulher morando sozinha.

E fica no Norte o maior percentual de mulheres sem cônjuge com todos os filhos menores de 14 anos (30,4%). Destaque para o estado do Acre, que conta com 34,7% de famílias nessa condição.

PUBLICIDADE

Mesmo assim, 27% das mulheres consultadas se declararam chefes de família. Destas, 14,8% viviam com o marido.

Mulheres chefiam mais casas no Nordeste

A região Nordeste, com 29,3%, apresentou o maior número de famílias com mulheres no comando, e Pernambuco se configurou o estado da região com o maior percentual: 31,6%.

Se apenas as regiões metropolitanas forem analisadas, Salvador se destaca, com 41,8% das famílias com chefia feminina; das quais 20,2% viviam com o marido.

O estado com mais famílias chefiadas por mulheres com cônjuges é Roraima (33,9%), mas foi a cidade de Porto Alegre que surpreendeu: 31,7% dos domicílios têm a mulher como a comandante, apesar de o Sul do País chamar a atenção pelo nível mais baixo de famílias com mulheres no comando.