Mudou de emprego e não gostou? Será que vale voltar para a empresa anterior?

Profissional deve refletir sobre o assunto a fim de saber se a volta representará um retrocesso ou uma oportunidade para a carreira

SÃO PAULO – Mudar de emprego, por mais que seja desejado, é sempre difícil, especialmente se a função na nova empresa não for a esperada pelo profissional. Em casos como esse, surge a seguinte pergunta: vale a pena pedir o emprego de volta na antiga empresa?

De acordo com o diretor executivo da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Marshal Raffa, antes de tomar qualquer atitude, o profissional deve conversar com a nova empresa para tentar alinhar com a contratante suas funções e expectativas.

Feito isso, se o desejo de voltar para a antiga empregadora continuar sendo maior, deve-se, primeiramente, refletir sobre o assunto com a finalidade de saber se a volta representará um retrocesso ou uma oportunidade de fortalecimento para a carreira.

PUBLICIDADE

“Para a antiga empresa, é uma posição confortável, por ser detentora do poder de decisão em aceitar ou não o funcionário de volta. Esta situação faz com que o profissional diminua seu poder de barganha ou anule suas negociações para o retorno, mas há casos em que a empresa também se sente favorecida com o retorno do bom ex-colaborador e, com isso, o profissional consegue ter, se utilizando de forma ética, seu poder de negociação e retorno valorizados à companhia”.

Como pedir?
Ainda conforme Raffa, antes de ir conversar com os antigos gestores, o profissional deve se informar junto aos seus antigos colegas de trabalho se a sua posição já foi ocupada e como eles veem seu retorno à organização. “Eles são uma rica fonte de informações”.

Ao conversar com os líderes, o ideal é que o profissional se apresente como uma pessoa que irá agregar valor à empresa e como uma alternativa para resultados de curto e médio prazos, já que a empresa não precisará investir esforços quanto à integração junto aos colegas, treinamento e cultura organizacional.

Por outro lado, alerta o diretor, caso a saída da empresa não tenha sido amigável ou o retorno à companhia signifique um retrocesso, a ideia de voltar à antiga empresa deve ser evitada.