Mudanças radicais na carreira devem ser tratadas com atenção

Profissionais devem deixar claro que estão conscientes das dificuldades a serem enfrentadas, diz especialista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Quem realizou ou pretende realizar uma mudança radical de carreira deve tratar a questão com cuidado nas entrevistas de emprego. Ao menos, esta é a opinião do vice-presidente da De Bernt Entschev Human Capital, Bernardo Entschev.

De acordo com ele, mudanças de área muito radicais podem gerar insegurança no recrutador, por conta da possibilidade da pessoa querer voltar para a antiga colocação. Isso acontece, explica Entschev, porque muitas pessoas não se preparam financeiramente e emocionalmente para o período de transição.

“Por conta do “downgrade” salarial e de posição que uma mudança radical implica, muitas empresas temem que a pessoa não assimile esse reinício de carreira e resolva voltar para a antiga área. Assim, acredito ser muito importante a pessoa deixar claro que está consciente das dificuldades a serem enfrentadas e também que possui uma reserva financeira para uns dois, três anos, aproximadamente, para manter, se este for o caso, o estilo de vida”.

Aprenda a investir na bolsa

Seja verdadeiro
O presidente da Curriculum, Marcelo Abrileri, por outro lado, acredita que mudanças radicais na carreira não influenciam na busca por um emprego na nova ocupação. Ainda assim, orienta, o profissional deve estar preparado para ser questionado sobre as motivações que levaram a tal decisão. “O melhor é ser sincero, verdadeiro. A pessoa deve explicar naturalmente os motivos que a levaram a mudar radicalmente de área”, diz.

Entschev concorda e acrescenta: “O mais adequado é dizer que tem afinidades e interesses que serão supridos pela nova carreira”.

Por outro lado, alerta, justificativas baseadas na questão salarial não devem ser utilizadas. “Pode soar negativo dizer que mudou de área simplesmente porque gostaria de ganhar mais, bem como as pessoas devem evitar falar que a falta de sucesso na carreira anterior foi a motivação para a mudança”.

Duas carreiras ao mesmo tempo
Questionamentos parecidos, dizem os especialistas, podem enfrentar as pessoas que cursam ou cursaram duas graduações de áreas totalmente distintas ao mesmo tempo.

“Pode haver algum mal-estar porque a pessoa pode passar uma imagem de falta de foco”, diz Abrileri.

Neste caso, orienta Entschev, o melhor a fazer é escolher, investir e priorizar uma das carreiras.

PUBLICIDADE