Mudança de emprego: segure o entusiasmo e pese se a decisão é mesmo vantajosa

Insatisfeito com tudo, você atribui toda a culpa ao emprego atual. Mas será que isso é mesmo verdade? Pense bem a respeito

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de tanta expectativa, você é aprovado em um processo seletivo. Agora, diante do seu “futuro” empregador, ouve atentamente as condições da contratação. Depois de tantos anos em uma mesma empresa, chega enfim a tão sonhada oportunidade de mudar. Em meio à euforia, vem a dúvida, que torna inevitável a pergunta: será que este é mesmo o melhor caminho a seguir?

Tempo para pensar

Diante de uma decisão como esta, é indicado que você pense muito a respeito. Não se veja obrigado a decidir tudo em um segundo. Afinal, trata-se da sua vida! Controle sua empolgação e analise o caso de forma bastante imparcial. O interessante é que você apure o máximo possível de informações para pesar prós e contras.

O que você quer? Procure se questionar sobre os reais motivos que o levaram a procurar um novo emprego: verifique se as suas frustrações e o seu descontentamento têm mesmo motivo para existir, e se estão mesmo vinculados à vida profissional.

Aprenda a investir na bolsa

Isso porque, em alguns casos, culpamos o emprego por todas as nossas insatisfações, e acabamos encobrindo o principal problema: a nossa reação diante dos fatos. Por isso, seja neutro o suficiente para julgar se realmente tem feito o seu melhor, contribuído para a sua realização pessoal.

Não valorize demais seus problemas

Caso não esteja bem com você mesmo, ficará difícil uma adaptação em um novo emprego. Apostar em uma “guinada” pode não ser uma boa idéia, se você não estiver emocionalmente preparado para isso.

Tenha estabilidade suficiente para enxergar seus problemas, porém evite valorizá-los demais. Proponha-se a mudar o que precisa ser mudado, corrigir as falhas e ajustar as arestas.

Perdas e ganhos

Por mais que “abomine” seu trabalho atual, pese muito bem o que perderá ao se demitir. Há sempre algo positivo a pesar, evitando desta forma um arrependimento futuro.

Já por outro lado, ao analisar o novo emprego, considere com atenção o que lhe será oferecido: condições de trabalho (horário, ambiente), benefícios (convênio médico, treinamento, vale-refeição) etc. Compare qual a sua atividade hoje e o que fará no novo cargo. Você está pronto para abraçar esta responsabilidade?

O que muda?

Tenha cuidado para não se prender demais à tentadora proposta salarial, deixando de olhar para outros aspectos: o que mudará em sua nova atividade? Outras pessoas sentirão esta mudança junto com você?

PUBLICIDADE

Caso tenha familiares envolvidos, como esposa ou marido, pais ou filhos, experimente convidá-los a participarem da decisão. Afinal, pode tratar-se de algo que os afetará diretamente.

Observe se não estão lhe “vendendo” um emprego

Tenha cuidado para não embarcar em uma situação equivocada. Lembre-se: toda empresa é o máximo, até começarmos a trabalhar nela. Aí vem os problemas, as inconveniências. Sendo assim, observe friamente o que lhe foi proposto e considere todas as possibilidades.

Pense o máximo que puder, porém dentro de um curto prazo, para que seu gesto não seja encarado como insegurança ou “convencimento”. Mostre-se decidido a encontrar o melhor para você.

Esteja certo que, decidido em seus propósitos e seguro quanto à decisão tomada, seu futuro profissional estará parcialmente garantido: restará a você desenvolver um bom trabalho. Boa sorte!