Mudança de emprego: atenção aos e-mails de despedida

Profissional deve pedir autorização para enviá-lo. Caso seja permitido, lembre-se de que ele é como um rastro que deixou

SÃO PAULO – Você recebe a notícia de que foi demitido ou que simplesmente mudará de emprego. Nesse momento, lembra-se das pessoas com as quais conviveu grande parte de seu dia durante anos e, por isso, resolve mandar um e-mail de despedida.

A idéia não é ruim, mas pode ser condenada pela empresa que você está deixando. E, para não ser mal visto, o melhor é questionar ao RH se pode mandar tal mensagem. Se a resposta for negativa, procure despedir-se pessoalmente. Caso contrário, é melhor tomar cuidado ao noticiar por correio eletrônico.

A quem interessa?

Sua saída da empresa deve ser comunicada somente para quem teve contato direto com você.

PUBLICIDADE

Por isso, note quais foram as pessoas que, de uma forma ou de outra, contribuíram para seu aprendizado. Depois disso, é hora de mandar o tão desejado e-mail.

Pense no conteúdo

Dramatização em demasia pode atrapalhar: nada de poemas românticos ou conteúdo emocional que exponha suas relações pessoais. Seja direto e claro.

O e-mail de despedida é como um rastro que você deixará na empresa. Use-o para comunicar, de forma clara e objetiva, sua saída, sem se perder em explicações. Ao final, agradeça e peça desculpas por qualquer equívoco, caso considere necessário.

Evite comentários e desabafos, principalmente se o motivo para a saída for sério. Nada de denegrir a imagem da empresa, mesmo estando com raiva e sentindo-se injustiçado.

Depois de escrito o texto, leia-o com atenção. Será que as frases não estão ambíguas e podem deixar dupla interpretação? Isso poderá prejudicá-lo? Para evitar esse tipo de situação, seja conciso.