RADAR INFOMONEY Programa desta quarta fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

Programa desta quarta fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

MTE estima que fevereiro gerou mais de 181 mil postos de trabalho

Indústria é principal responsável pelas contratações, pois empresas que demitiram devido à crise econômica voltaram a contratar

SÃO PAULO – O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou, na última sexta-feira (12), que o mês de fevereiro deve ter gerado mais de 181 mil postos de trabalho, recorde do mês na história de geração de empregos. Os números serão confirmados ainda esta semana, mas já superam os dados de janeiro.

De acordo com Lupi, o principal responsável pelas contratações é o setor industrial, pois algumas empresas que demitiram funcionários precipitadamente devido à crise econômica voltaram a contratar. “Este mês eu acho que já recuperam plenamente todas as demissões, pelos índices que eu vi até agora”, disse, segundo a Agência Brasil.

O ministro declarou ainda que a retirada da isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) na compra de veículos e eletrodomésticos não influenciará nas contratações, já que o que tinha que vender com a redução já foi vendido. Para ele, o aumento real do salário e a contratação em massa manterão o ritmo forte de vendas.

PUBLICIDADE

Redução da jornada
Segundo à Agência Brasil, em relação à redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, o ministro afirmou que é a favor, mas sem a possibilidade de diminuir o salário do empregado.

“Esse mecanismo é inexorável, porque todo o mundo moderno já está praticando 36, 37 (horas semanais). Esse é o caminho natural, porque, inclusive, o trabalhador produz mais. Todos os países que adotaram menos de 40 horas semanais melhoraram a sua produtividade”, finalizou Lupi.