MPEs geram 78,7% dos empregos com carteira assinada em março

De acordo com o estudo do Sebrae, baseado nos dados do Caged, em março, foram criadas 111 mil vagas formais

SÃO PAULO – As MPEs (micro e pequenas empresas) foram responsáveis pela criação de 78,7% das vagas de emprego geradas em março. De acordo com os dados divulgados pelo Sebrae, baseados no Caged (Cadastro de Empregados e Desempregados), os pequenos negócios geraram 87.913 mil oportunidades de trabalho, das 111.746 registradas em todo o País.

O resultado do terceiro mês deste ano foi superior ao apresentado em março de 2011, quando os empregos nas MPEs corresponderam a 50,4% do total. O MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) considera como micro e pequenas empresas aquelas que têm um número máximo de 49 funcionários, nos setores de comércio e serviços, e de 99 de trabalhadores, na indústria.

Análise por setor
Ao analisar a geração de emprego por setor, os dados revelam ainda que, em março, as MPEs do setor de serviços foram as que mais elevaram seus quadros, sendo responsáveis por 52 mil contratações.

PUBLICIDADE

“Estamos constatando a cada mês a relevância dos pequenos negócios para a oferta de novos postos de trabalho no Brasil. O setor de serviços, por exemplo, criou 52 mil vagas nas micro e pequenas empresas em março, sendo quase 40 mil delas apenas nas empresas com até quatro funcionários”, detalhou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Já o setor da indústria de transformação apresentou retração, com o fechamento de cinco mil vagas. Mesmo assim, o desempenho das micro e pequenas empresas ajudou a equilibrar os números nesse segmento. “Enquanto as médias e grandes organizações fecharam 17 mil postos em março, as MPEs mantiveram as contratações em alta e foram responsáveis por 12 mil novos empregos”, informou o Sebrae.

Por região
No que se refere aos estados, São Paulo liderou o ranking de contratações. Para se ter uma ideia, das mais de 87 mil vagas abertas pelas micro e pequenas empresas em março, o estado foi responsável por 25 mil (29,4%) postos de trabalho. Em seguida, se destacaram Minas Gerais, com 14 mil vagas (15,9%), e o Rio Grande do Sul, com 9 mil empregos gerados (10,3%).