Salários mais altos

Ministro do Trabalho defende consumo interno e emprego como estímulo à economia

Ministro disse que é possível "continuar e manter essa política, com medidas que o governo já está preparando que certamente vão recolocar no rumo a nossa economia"

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, defendeu nesta quarta-feira, 17, que o consumo no mercado interno e geração de emprego continuam sendo instrumentos essenciais para estimular a economia. “Há uma economia sustentada dentro desse ciclo virtuoso de mais emprego, mais salário, mais consumo, mais produção, e que tem mantido o Brasil, entre as nações do mundo inteiro, como aquela que proporcionalmente mais gera emprego e mais garantia assegurou aos trabalhadores”, afirmou Dias após o lançamento de estudo sobre a rotatividade no mercado de trabalho brasileiro.

 

O ministro disse que é possível “continuar e manter essa política, com medidas que o governo já está preparando que certamente vão recolocar no rumo a nossa economia”. Ele rejeita a hipótese de que o mercado de consumo estaria esgotado.

PUBLICIDADE

 

Na avaliação de Dias, a política que sustentou o Brasil nos últimos 12 anos foi a política de geração de emprego e de valorização salarial. “Além dos 50 milhões de brasileiros que entraram na classe média, no mercado consumidor. Além das políticas públicas de distribuição de renda”, afirmou.

 

Manoel Dias admitiu que há setores da indústria com dificuldades e que precisam de estímulos para poder voltar a operar a pleno vapor. “Certamente o governo vai propor políticas industriais para modernizar o nosso parque industrial, mas mantendo a política de geração de empregos”, salientou.