Ministro do Trabalho ainda espera que neste ano sejam criados 2 mi de empregos

Esse número representa mais que o dobro do registrado no ano passado, quando foram criados 995.110 postos de trabalho

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro do Trabalho, Carlos Lupi ainda acredita que 2010 será o melhor ano em termos de geração de empregos.

Lupi espera que neste ano sejam criados 2 milhões de empregos com carteira assinada, contabilizados pelos Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Esse número representa mais que o dobro do registrado no ano passado, quando foram criados 995.110 postos de trabalho. “Continuo acreditando que, em 2010, o Brasil vai viver o seu melhor ano na geração de empregos, vai ser o dobro de 2009”, afirmou o ministro. Espera-se que sejam criados 100 mil empregos neste mês.

Aprenda a investir na bolsa

Promessas
O governo tinha espectativa de que seriam criados 1 milhão de postos de trabalho em 2009, porém o saldo negativo de 400 mil empregos no último mês do ano, derrubou as expectativas. Segundo o ministro do Trabalho, o alto número de demissões em dezembro deveu-se a um crescimento incomum durante os quatro meses anteriores.

“Tivemos quatro meses com saldo de geração de empregos de mais de 200 mil novos postos. Esses quatro meses, comparados com qualquer ano da história, foram os maiores geradores de emprego. Em dezembro, tem o fim dos contratos temporários, quando essas pessoas acabam sendo demitidas”, explicou Lupi. 

Os meses de agosto, setembro, outubro e novembro tiveram saldo positivo de mais de 240 mil novos empregos. A soma dos resultados dos quatro meses foi de 972.394 postos de trabalho.

Setores
O setor que menos empregou foi o extrativo mineral, com 2.036 novos empregos. Em seguida, vem serviços industriais de utilidade pública, com 4.984 postos de trabalho. A indústria de transformação foi o terceiro pior setor, com saldo de 10.865 novos empregos.

Entre as regiões, a Sudeste foi a que mais criou empregos, com 476.031 postos, seguida pela região Nordeste (227.376). Na sequência, vêm as regiões Sul, com 184.324 empregos, Centro-Oeste, com 70.138, e Norte, com 37.241 vagas de trabalho.