Ministra da Cultura espera a aprovação, ainda neste semestre, do Vale-Cultura

Ana de Hollanda afirmou que já está cobrando dos parlamentares celeridade na tramitação da proposta

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, espera a aprovação, ainda neste primeiro semestre, do projeto de lei que cria o Vale-Cultura.

Em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Ana afirmou que já está cobrando dos parlamentares rapidez na tramitação da proposta.

O projeto que institui o Vale-Cultura (PL 5.798/09) determina o pagamento de um valor mensal de R$ 50 em cartão magnético a trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos.

Aprenda a investir na bolsa

O valor poderá ser usado para a compra de livros, CDs e DVDs, ou para assistir a filmes, peças de teatro e espetáculos de dança.

“Acho que não há nenhum questionamento sobre a importância [do projeto de lei] e de disponibilizar logo para o trabalhador esse direito de ter acesso à cultura”, disse a ministra, conforme publicado pela Agência Brasil.

Na avaliação de Ana, a cultura ainda é vista como um segmento “meio abstrato”, mas tem uma função muito objetiva de lidar com o cidadão. “Se a gente não trabalhar, a cultura estará perdendo uma grande oportunidade de se inserir no dia a dia do trabalhador”.

Secretaria de Economia Criativa
Durante a entrevista, Ana de Hollanda falou ainda sobre a criação da Secretaria de Economia Criativa, que, segundo ela, deverá resolver os problemas de mau uso do dinheiro destinado à cultura.

“A economia criativa perpassa por todas as áreas da cultura, quem vive de cultura, quem trabalha, quem a cerca. São pessoas que, direta ou indiretamente, participam do processo”, disse.

“Muita coisa está se perdendo, indo pelo ralo, por causa do mau uso do dinheiro que vai para a cultura. Precisamos ver como ele pode ser reaproveitado, otimizado, com renda para várias áreas. Com o uso meio desordenado, acaba-se por perder oportunidades, dispersando verbas”, completou.

PUBLICIDADE