Ministério da Educação integra ensinos médio e profissional

Nova opção de ensino oferecerá, em 20 estados brasileiros, cerca de 40 mil vagas, que deverão ser preenchidas até 2007

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma nova modalidade de ensino acaba de ser criada pelo governo federal. A partir de agora, os estudantes podem concluir o ensino médio com formação profissional na mesma escola.

Nova modalidade de ensino oferece 40 mil vagas

Para colocar a novidade em prática, o Ministério da Educação (MEC) vai complementar o ensino médio com os cursos de formação profissional. A partir deste ano, as vagas serão oferecidas em 20 estados para cerca de 40 mil pessoas.

Em Santa Catarina e no Paraná, esse sistema integrado já existe desde 2004. Mas para conseguir essas vagas com o MEC, os estados precisam apresentar projetos de integração. É por isso que o governo espera que a maior parte dos cursos entre em funcionamento a partir de 2007.

Aprenda a investir na bolsa

O MEC acredita que haverá um acréscimo de 50% na educação profissional brasileira, se forem consideradas as matrículas da rede de escolas técnicas. Essa integração, para a diretora do Departamento de Políticas do Ensino Médio do Ministério da Educação, Lúcia Lodi, pode romper a dualidade existente no sistema escolar.

“A escola brasileira vive o dilema de oferecer ou educação profissional ou a formação geral”, afirma Lodi. “Hoje estamos buscamos uma alternativa de assegurar duas dimensões importantes para a formação dos nossos adolescentes num único curso”.

Cursos dependem da necessidade de cada região

A diretora disse que serão oferecidos cursos de acordo com a necessidade de cada região, como nas áreas de saúde, informática e turismo, por exemplo, que poderão durar de três a quatro anos.

Segundo o Ministério da Educação, as escolas interessadas precisam entrar em contato com as secretarias estaduais de educação e avaliar sua estrutura escolar, seus recursos materiais e a disponibilidade dos professores das áreas profissionais.
As informações são da Agência Brasil.