Mimos e elogios: bajulador prejudica ambiente de trabalho; como lidar com ele?

Ele pode provocar rixas e intrigas; líder deve cortar algumas práticas e colegas não devem "dar bola"

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Aquela pessoa que elogia o chefe a todo o instante e ainda o presenteia sem que seja uma data comemorativa pode incomodar alguns colegas de trabalho. Mas muito mais do que isso, o bajulador prejudica o ambiente corporativo.

De acordo com a supervisora do serviço de consultoria virtual da Catho Online, Gláucia Santos, este tipo de pessoa ainda peca em querer mostrar resultados. “Assim, forma um ambiente de intrigas e de rixas”, afirmou.

Para Gláucia, a idolatria em excesso só demonstra falta de segurança, já que a pessoa precisa mostrar a todo o momento seus resultados. “É a necessidade de seduzir o gestor com questões pessoais porque as profissionais, na visão do bajulador, não são suficientes”.

Quem é ele?

Aprenda a investir na bolsa

A supervisora faz questão de deixar claro que o bajulador não é, necessariamente, incapaz ou incompetente. Gláucia selecionou algumas características deste perfil comum no ambiente de trabalho. Confira:

  • Elogia e supervaloriza atividades feitas pelo chefe;
  • Faz fofocas e intrigas;
  • Informa tudo o que acontece ao chefe
  • Mistura questões profissionais com as pessoais: “A impressão que dá é de que ele quer se favorecer com a relação pessoal”, disse Gláucia.
  • Faz o marketing pessoal de maneira errada: fala muito o que fez de bom, a todo o momento, e passa por arrogante.

Como lidar?

O chefe deve saber impor limites. Se o bajulador chegou a atrapalhar nas atividades do líder, certamente é porque ele permitiu. Um exemplo é acabar com a prática na primeira vez que ela for feita.

“Caso o bajulador venha falar mal de algum colega, já corte e diga que não gosta deste tipo de comentário”. Quanto aos presentes e mimos, quanto mais receptivo o chefe for, mais o puxa saco irá fazer.

Quanto aos colegas de trabalho, não entre no jogo do bajulador nem comece a agir como ele. “O foco deve continuar nas próprias atividades, deixando rixas, intrigas e fofocas de lado”.