Mesmo com crise, executivos pretendem contratar nos próximos meses

Pesquisa revela ainda que baixa qualificação continua sendo um empecilho para contratação nas empresas brasileiras

SÃO PAULO – Apesar da crise financeira mundial, 25% dos executivos brasileiros informaram que têm intenção de contratar profissionais de finanças e contabilidade nos próximos seis meses. O resultado é acima da média mundial (11%).

Entre os principais motivos para novas contratações das empresas brasileiras, 47% dos empresários deram crédito ao aumento do negócio e 25% ao crescimento da carga de trabalho.

Além disso, apenas 12% dos executivos brasileiros levantaram a possibilidade de cortar bônus dos seus funcionários em decorrência da crise. Já a média mundial sobre esse tema é de 29%. Os dados fazem parte do “Workplace Survery”, estudo realizado pela Robert Half, com mais de 5 mil executivos de 20 países, no primeiro trimestre de 2009.

Crise e o mercado de trabalho

PUBLICIDADE

Devido ao atual cenário econômico, os candidatos a uma vaga de emprego têm perguntado mais sobre a situação financeira da empresa contratante no momento da entrevista. Uma prova disso é que 44% dos executivos entrevistados afirmaram que os candidatos estão mais atentos à estabilidade financeira da companhia do que no passado.

Outro fato relevante constatado no estudo é que a baixa qualificação profissional continua sendo um empecilho para a contratação nas empresas brasileiras. Para se ter uma ideia, 45% dos executivos brasileiros revelaram que mais da metade dos currículos recebidos são de profissionais com qualificação menor do que a exigida. Esse resultado é superior aos 41% registrados na média mundial.

Qualidade de vida

Quando o assunto é carreira, 47% dos executivos brasileiros consultados disseram que colocam a vida profissional em primeiro lugar. Já a segunda prioridade é a família, com 30%.

Em relação à saúde dos seus profissionais, 56% dos entrevistados brasileiros acham que sua equipe sofrerá com problemas de estresse. Os motivos que desencadeiam o aumento do estresse nos funcionários brasileiros são a preocupação com a economia relatada por 60% dos executivos consultados e o excesso de trabalho causado por uma equipe enxuta (57%).

Entre os efeitos desse problema de saúde nas empresas, 52% dos executivos disseram que sua equipe fica desmotivada e, 37% revelaram que cai a qualidade do trabalho.