Mercado e aspectos individuais influenciam no tempo de permanência nas empresas

Consultor elabora alguns passos que podem ajudar no desenvolvimento profissional; equilíbrio é requisito fundamental

SÃO PAULO – A nova dinâmica do mercado está fazendo com que os profissionais repensem a forma como conduzem suas carreiras. Atualmente, uma das questões que está mais em evidência é se o profissional deve permanecer por um longo período na mesma empresa ou buscar novas oportunidades com mais rapidez.

Antes de mais nada, deve-se entender que as diferentes gerações tendem a se comportar de maneira distinta. As pessoas de épocas mais antigas, anteriores aos dos indivíduos da geração Y, por exemplo, tendem a buscar carreiras mais estáveis.

As novas gerações, no entanto, parecem dar mais valor às novas oportunidades e, para isso, não se preocupam em ter que trocar de empresa em uma velocidade maior. Quem vem depois da geração Y também vai se comportar diferente.

PUBLICIDADE

Permanência ideal
Nesse contexto, vale ressaltar que o que vai determinar o tempo de permanência nas empresas não é apenas o mercado de trabalho, que cada vez mais impulsiona os profissionais para uma atualização e evolução constante de suas habilidades, e a geração na qual o indivíduo faz parte.

Aspectos ligados aos valores pessoais, necessidades específicas, crenças e experiências de vida também ajudam a moldar as pessoas e são elementos que farão com que elas optem por mudanças constantes ou por um comportamento mais estável.

Desenvolvimento profissional
Se esses fatores vão influenciar os profissionais de diferentes formas é importante notar que a questão do desenvolvimento profissional é comum a todos, ou seja, é fundamental para qualquer tipo de pessoa focar na evolução de sua carreira.

Alguns passos, sugeridos pelo consultor e palestrante nacional sobre tópicos ligados a gestão de pessoas, Odilon Medeiros, vai te ajudar nesse sentido. E não se esqueça: é preciso sempre ter equilíbrio e bom senso na sua avaliação!

  • Conheça-se: o que traz satisfação profissional para você?
  • Você está feliz com a empresa? E com a sua função?
  • Habilidades e competências: as suas estão sendo aplicadas?
  • O que falta ser desenvolvido ou adquirido?
  • Quantas vezes você foi promovido nos últimos anos?
  • Por quais razões isso tem acontecido (ou não tem acontecido)?
  • Você está em sintonia com o que a empresa espera dos seus profissionais?
  • O que os seus colegas falam a respeito da sua atuação?
  • A empresa tem investido na sua carreira?
  • O que você está planejando para a sua ascensão profissional? Já elaborou um plano “B” (fora da empresa, por exemplo)?