Mercado de trabalho procura líderes com conhecimentos específicos

Busca por executivos continua em 2008, porém serão valorizados quem tem vivência em questões como as ambientais

SÃO PAULO – O mercado de recrutamento de executivos irá continuar aquecido em 2008, mesmo que a economia não cresça no mesmo ritmo do ano passado, na avaliação do presidente da Mariaca – uma das principais empresas de gestão de capital humano do País -, Marcelo Mariaca.

“Buscam-se gestores em praticamente todos os segmentos da economia, principalmente em produtos de consumo, transporte e logística, telecomunicações, tecnologia da informação, construção civil, bio-energia e finanças, nas indústrias automobilística, química, petroquímica, farmacêutica e papel e celulose”, afirma.

Mas houve uma mudança vital nessa demanda. Os profissionais mais valorizados são aqueles com vivência em questões ambientais, assuntos corporativos e comunicação empresarial, evidência de que as companhias estão enfatizando, cada vez mais, a sustentabilidade do negócios e o fortalecimentos das relações com todos os seus públicos estratégicos, os chamados stakeholders.

Contratantes exigentes

PUBLICIDADE

Está claro que as corporações elevaram o nível de exigência em relação ao recrutamento de profissionais, especialmente para ocupar cargos executivos. Além de talento e eficácia, elas buscam flexibilidade. O líder precisa ter capacidade de se adaptar facilmente aos novos modelos culturais e aos valores das organizações, essenciais ao sucesso de um negócio.

Isso significa que flexibilidade é uma qualidade primordial, no mutante mundo de negócios no qual estamos inseridos. Segundo Mariaca, aquele profissional que diz “eu só sei fazer assim” ou “eu fiz isso a minha vida inteira” este sendo substituído por outro que afirma estar disposto a encarar um novo desafio sempre.

Em uma economia globalizada, isto é, sem fronteiras, e de competição acirrada entre as empresas, é crescente a necessidade de líderes com potencial para pensar grande e que tenham capacidade de mudar. Essa mudança pode se referir à sua função ou à cultura da corporação, o que envolve poder de persuasão para alterar a mentalidade das pessoas da equipe e quebrar paradigmas.