Mercado de trabalho: pesquisa revela o perfil da área de saúde

Atividade responde por mais de 4% do total de postos de trabalho entre 2000 e 2005 e por 7% das remunerações da economia

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As atividades de saúde foram responsáveis por mais de 4% do total de postos de trabalho no País entre 2000 e 2005. O dado, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), diz respeito aos empregos diretos criados por empresas relacionadas à área de saúde, considerando administradores, médicos, recepcionistas e outros.

As ocupações da atividade passaram de 4,1% dos empregos do Brasil em 2000 para 4,3% em 2005. Em números absolutos, é possível dizer que 660 mil novos postos de trabalho foram criados pelas atividades no período, o que mostra uma grande evolução para quem pretende seguir na área.

Os destaques em criação de empregos são as áreas de saúde pública, com mais de 1,2 milhão de novos postos somente em 2005, e a de outras atividades relacionadas com atenção à saúde, com mais 1,0 milhão de postos. A economia, como um todo, criou 90,9 milhões de empregos e as atividades relacionadas à saúde, 3,8 milhões.

Rendimento do trabalhador

Aprenda a investir na bolsa

As remunerações dos profissionais empregados nas atividades ligadas à saúde representam 7% das remunerações do total da economia. O rendimento médio anual em 2005 em toda a economia foi de R$ 9.702 e, nas atividades de saúde, de R$ 15.917. Na tabela abaixo é possível analisar em cada segmento:

AtividadeRenda média/05
Fabricação de produtos farmacêuticosR$ 36.368
Fabricação de aparelhos para usos médico-hospitalares e odontológicosR$ 13.394
Comércio de produtos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e odontológicosR$ 8.324
Assistência médica suplementarR$ 23.899
Saúde públicaR$ 19.629
Atividades de atendimento hospitalarR$ 33.137
Outras atividades relacionadas com atenção à saúdeR$ 14.551
Serviços sociais privadosR$ 4.289

Profissão médico

Os estabelecimentos de saúde privados respondem por mais da metade (54%) dos postos de trabalho médicos, sendo que é na região Sul que está a maior parcela destes postos (63%). Nas regiões Norte e Nordeste, as proporções são de 70% e 54%, respectivamente.

Quando considerados os postos que exigem uma jornada de mais de 40 horas por semana, o setor público passa a ser destaque em vagas oferecidas aos médicos. Em 2005, por exemplo, 57% dos vínculos de trabalho de médicos com jornada de 40 horas ou mais estavam em hospitais públicos.

Neste caso, a região Norte é destaque, com 77% dos postos no setor público, seguida pelo Nordeste (71%).