MBA: veja as diferenças entre um curso nacional e um feito no exterior

Existe uma grande diferença entre optar por um MBA nacional e um internacional. A primeira delas é o objetivo dos cursos

SÃO PAULO – Escolher se é o momento certo para se fazer um MBA (Master in Business Administration) não é tarefa das mais fáceis. Essa decisão passa por uma série de questões, desde a experiência do profissional no mercado aos objetivos que ele quer atingir. Passada essa fase, vem a pergunta: é melhor fazer o curso no Brasil ou no exterior?

A questão, embora não pareça de todo relevante, deve ser levantada. Isso porque, de acordo com a sócia da escola preparatória para ingresso em escolas de negócios no exterior MBA House, Vivianne Wright, existe uma grande diferença entre optar por um MBA nacional e um internacional.

A começar pelo próprio objetivo do curso. “Master in Business Administration é um mestrado em Administração de Empresas, e o que se vê na oferta de cursos no Brasil são especializações em áreas específicas”, afirmou, por meio de nota.

PUBLICIDADE

De acordo com ela, um MBA tem o objetivo de formar administradores. “O MBA internacional prepara um General Manager [gerente-geral] pronto para seguir qualquer carreira em qualquer setor do mercado”, ressaltou.

Quais as diferenças
As diferenças entre um curso no País e no exterior devem ser analisadas de acordo com o objetivo de cada profissional. No Brasil, de maneira geral, para ingressar em um MBA não é necessário fazer testes de proficiência em inglês nem realizar testes de conhecimentos gerais e de habilidades de negócios.

A ausência dessas etapas, na avaliação de Vivianne, coloca profissionais de diferentes níveis de formação e conhecimento na mesma sala. Contudo, as diferenças entre os cursos nacional e estrangeiro perpassam a questão da língua e da formação. Elas atingem a validade e o objetivo do curso.

Um MBA nacional não tem validade em outros países e foca o mercado nacional. “Mas com certeza um MBA no Brasil de escolas renomadas será respeitado dentro do país, principalmente em empresas nacionais”, afirmou Vivianne. Já por possuir etapas de seleção, os cursos lá fora têm validade internacional.

Outra diferença é a carga horária. No Brasil, os cursos têm uma carga horária menor. De acordo com Vivianne, como um curso no exterior pretende formar General Managers, a carga horária acaba sendo mais robusta. “Isso acontece pois somente nos primeiros seis meses o MBA internacional revisita muitas matérias de graduação, e é bem mais extenso, durando dois anos com carga horária pesada”, disse.

Apesar das diferenças, a escolha de um ou outro deve considerar o objetivo do profissional. Por isso, os profissionais devem avaliar o que de fato é melhor para a carreira deles.