Mais de 900 mil vagas foram criadas de janeiro a maio deste ano

O número de empregos com carteira assinada gerados no quinto mês do ano atingiu o patamar 212.217 empregos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No quinto mês do ano, foram criados 212.217 novos empregos com carteira assinada no País, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o que representa um crescimento de 0,75% em relação ao mês anterior.

De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho e Emprego, no acumulado dos cinco primeiros meses do ano foram criados 913.836 novos postos, o maior saldo registrado na série histórica para o período, ultrapassando a marca de 2004, quando foram criadas 826.761 vagas entre janeiro e maio.

Nos últimos 12 meses, a variação acumulada é de 5,05%, com a criação de 1.374.179 de empregos.

Reflexos do Pac

Aprenda a investir na bolsa

Conforme apontou o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está influenciando na expansão do emprego formal e o País poderá bater este ano a marca de 1,5 milhão de novos postos formais, alcançada em 2004.

“O Estado nunca teve um papel tão importante no crescimento econômico, e esse resultado é fruto da política econômica adotada pelo presidente Lula, que teve a coragem de manter o controle da inflação e fazer os cortes dos juros de forma a resguardar a segurança que a economia exigia”, afirmou.

Crescimento em todos os setores

Todos os ramos analisados pelo Caged apresentaram crescimento nas vagas formais em maio de 2007.

A agropecuária foi o setor que mais gerou empregos. Elevando em 5,24% a oferta de vagas, foram registrados 80.340 novos postos no setor em maio. Contribuíram para esse resultado o cultivo do café e da cana-de-açúcar que, respectivamente, criaram 36.977 e 25.622 empregos celetistas.

Também teve destaque a indústria de transformação, responsável pela criação de 57.486 (+0,86%) vagas no mês, superando em 18% o resultado de maio de 2006 (48.764 postos).

Os setores de serviços e comércio foram responsáveis pelo incremento de 39.590 (+0,35%) e 17.257 (+0,28%) postos de trabalho, respectivamente. O desempenho da construção civil continua merecendo destaque. Em maio de 2007, o saldo no setor foi de 13.732 (ou +0,97%).

Análise regional

PUBLICIDADE

Em abril, todas as regiões brasileiras apresentaram expansão no número de trabalhadores formais, com destaque para o Sudeste (150.812 postos ou + 0,96%) e Nordeste (29.913 postos ou +0,73%).

Entre os estados, São Paulo apresentou o maior crescimento: 81.467 postos ou +0,87%, em seguida aparece Minas Gerais com a criação de 52.989 postos ou +1,72% e Paraná com 16.360 postos ou +0,85%).