Mais de 80% dos executivos receberam propostas de emprego no último ano

Para evitar que seus profissionais mudem de emprego, as empresas estão investindo em programas de retenção de talentos

SÃO PAULO – Um levantamento realizado pela Asap, consultoria especializada em recrutamento e seleção de executivos de média gerência, revelou que 82,6% dos profissionais receberam ao menos uma proposta de emprego no último ano.

A pesquisa foi realizada com 1.934 executivos em todo o Brasil. Dos entrevistados, mais da metade é formada por executivos com cargos de gerência ou analista, o que significa que há oferta de trabalho para diferentes posições.

Para evitar que seus profissionais mudem de emprego, as empresas estão investindo em programas de retenção de talentos. A iniciativa tem dado certo, já que apenas 24% dos entrevistados que receberam uma proposta mudaram de emprego.

PUBLICIDADE

Aumento de salário
Entre os que aceitaram a nova oportunidade de trabalho, 40% disseram que fizeram esta escolha devido ao aumento salarial. Este aumento ficou acima de 30%.

Isso aponta que o salário não foi fator determinante para a maioria, pois quase 60% dos executivos, mudando ou não de empresa, tiveram um aumento de 20% ou mais na remuneração, nos últimos três anos. Somente 7% dos entrevistados não tiveram nenhum incremento salarial.

“Isso nos faz concluir que os executivos têm diversas ofertas de trabalho e, quando não mudam, geralmente foram atraídos por contrapropostas ou pelos programas de retenção de suas atuais empresas. É o reflexo de uma grande disputa por profissionais qualificados, e buscar outro profissional no mercado custa caro e pode demorar muito”, explica o sócio e CEO da Asap, Carlos Eduardo Ribeiro Dias.

Motivação
O estudo questionou ainda sobre a motivação. Para 43%, o que mais atraiu na oferta de trabalho foi a chance de crescimento profissional e futuras promoções, colocando em pauta a possibilidade de avaliar diversos fatores relacionados à empresa contratante, antes de aceitar a mudança.

“As empresas que se dedicam a um processo seletivo mais estratégico, com objetivo de encontrar profissionais mais alinhados com seus valores e que tenham uma gestão de carreira transparente, levam vantagem”, finalizou.