Mais de 76% dos profissionais podem mudar de emprego em 2010

Aqueles que ocupam cargos operacionais e administrativos são os mais propícios a buscarem nova oportunidade

SÃO PAULO – Pesquisa realizada pela Catho Online revelou que mais de 76% dos profissionais admitiram a possibilidade de procurar um novo emprego nos próximos 12 meses.

Os profissionais que hoje ocupam cargos operacionais e administrativos são os mais propícios a buscarem uma nova oportunidade no mercado de trabalho, com índice de 85%, em cada categoria.

Por outro lado, os que ocupam o cargo de presidência, gerência ou equivalente são os que menos consideram a possibilidade de trocar de emprego. No total, 52% deles responderam que pretendem fazê-lo – 33,2% disseram que existe alguma possibilidade, enquanto 18,8%, que a hipótese é altamente provável.

PUBLICIDADE

No caso de trainees e recém-formados, a maioria (43,9%) respondeu que é altamente provável que irá buscar espaço em outra empresa.

Demissão

O estudo, intitulado “A contratação, a demissão e a carreira dos executivos brasileiros 2009”, realizado entre março e abril deste ano, com 16 mil profissionais, revela ainda que 33,4% dos entrevistados creem que serão demitidos nos próximos 12 meses.

Os estagiários estão entre os que mais selecionaram essa resposta, com 50%, ao passo que presidentes, gerentes em geral ou equivalente consideram pouco essa hipótese, com 18,2% das respostas.

Por sua vez, os que menos acreditam que podem perder o emprego são os presidentes, gerentes gerais ou equivalente, com 81,8%. Depois, aparecem os diretores, com 79,7% acreditando nessa possibilidade.

“Conforme os dados, os profissionais de níveis hierárquicos mais baixos são os que mais consideram a possibilidade de procurar ou perder o emprego no período de 12 meses. Isso pode ser explicado com o fato de os presidentes, gerentes e profissionais de cargos equivalentes terem uma carreira mais consolidada e em constante desenvolvimento. Além disso, eles buscam, sempre, ter estabilidade, conquistando resultados e objetivos”, explica o diretor de Marketing da Catho, Adriano Meirinho.