Mais de 30% dos profissionais do e-commerce ganham acima de R$ 5 mil

Pesquisa revela que 21% ganham entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, 28% entre R$ 1 mil e R$ 3 mil e 5% abaixo de R$ 1 mil

SÃO PAULO – A demanda de profissionais para o comércio eletrônico tem influenciado diretamente na rotatividade dos cargos de gerenciamento das lojas virtuais. Para manter estes profissionais, as empresas de médio e grande porte passaram a oferecer bônus mais agressivos na obtenção de meta.

Levantamento realizado pela e-bit, em parceria com a Ecommerce School, e divulgado nesta terça-feira (16) revela que 34% dos profissionais que atuam neste setor têm remuneração acima de R$ 5 mil, sendo 19% entre R$ 5 mil e R$ 8 mil, 7% entre R$ 8 mil e R$ 12 mil e 8% acima de R$ 8 mil.

Os dados indicam ainda que 21% ganham entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, 28% entre R$ 1 mil e R$ 3 mil e 5% abaixo de R$ 1 mil. Outros 12% preferiram não revelar quanto ganham. Nos valores citados, não estão incluídos benefícios e bonificações.

PUBLICIDADE

Dificuldades para contratar
Apesar de o salário do setor ser atrativo, a pesquisa revelou que há uma grande dificuldade em contratar profissionais para atuar no setor. Das lojas entrevistadas, 63% contrataram nos últimos seis meses, sendo que 79% destas disseram que os candidatos não atendiam a todas as habilidades necessárias.

Entre outras dificuldades apontadas, estão não saber encontrar currículos específicos (22%), salários mais altos do que poderia oferecer (20%), candidatos que já estavam em outras empresas (9%) e candidatos que moram longe do local de trabalho (7%).

Ainda com relação aos que contrataram nos últimos seis meses, 64% chegaram até os candidatos por meio de indicação de amigos, parentes ou de alguém da empresa. Já 11% encontraram os profissionais pelas redes sociais.

Após a contratação, estes profissionais precisaram ser treinados para atuarem no e-commerce. Destes, 73% foram treinados pelo seu próprio gestor e apenas 3% não precisaram de treinamento. Quando perguntados sobre como procuram se atualizar, 54% desses profissionais disseram pelas redes sociais tais como blogs, Twitter e Facebook, para buscar informações profissionais.

Habilidades necessárias
Por fim, os dados indicam as habilidades necessárias para profissionais que desejam atuar na área. Os dados apontaram alguns pontos cujo conhecimento médio predomina. Esses pontos são os que abrirão mais oportunidades de trabalho, uma vez que demandarão cada vez mais profissionais especializados nesses assuntos.

No caso de logística e expedição, apenas 42% dos profissionais declararam ter conhecimento ou muito conhecimento sobre o assunto. Em marketing digital e técnica de vendas, o percentual foi de 83% para cada um. Em gestão financeira, o indicador chegou a 81%.