Mais da metade dos recrutadores verifica referências profissionais

Estudo feito pela Catho notou ainda que quanto mais alto o nível hierárquico, mais referências são verificadas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Pesquisa realizada pela Catho Online revelou que a maioria dos recrutadores ainda verificam referências profissionais antes da contratação.

Um percentual de 53,3% dos entrevistados admitem recorrer a essa antiga prática, verificando uma ou duas referências do profissional contratado, para ter certeza de que está fazendo uma boa escolha. Essa proporção tem se mantido constante ao longo da última década.

A maioria dos recrutadores (35%) explicou que entra em contato com dois antigos empregadores, ao passo que outros 21,8% entram em contato com três.

Número de referências

Aprenda a investir na bolsa

O estudo, intitulado “A contratação, a demissão e a carreira dos executivos brasileiros”, revelou ainda que o número de referências está diretamente relacionado ao cargo do profissional a ser contratado. Quanto mais alto o nível hierárquico, mais referências são verificadas.

Não por acaso, os trainees e estagiários têm menos referências verificadas. Em 23,3% dos casos, não é realizado nenhum contato com antigos empregadores. Já em 36,7% das vezes, são verificadas duas referências.

Em contrapartida, para o cargo de vice-presidente, 30,8% dos recrutadores verificam três referências e outros 30,8%, duas. Para o cargo de coordenador, supervisor ou chefe, por sua vez, 35,5% entram em contato com dois antigos empregadores do candidato à vaga.

A pesquisa contou com a participação de 16 mil profissionais, que foram entrevistados entre março e abril deste ano.