Maioria dos empregos gerados pela Copa será em micro e pequenas empresas

Segundo o Sebrae, a previsão geral é que 700 mil empregos serão criados até a Copa, sendo 420 mil somente nas MPEs

SÃO PAULO – A Copa do Mundo que será realizada no Brasil em 2014 aquecerá o mercado de trabalho. De acordo com o Sebrae, as vagas serão geradas principalmente pelas micro e pequenas empresas. A estimativa é que, de cada dez empregos criados pelo evento, seis serão em MPEs.

A previsão geral é que 700 mil empregos serão criados até a Copa, sendo 420 mil somente nas empresas de menor porte. O anúncio foi feita na última quinta-feira (7) pelo presidente da entidade, Luiz Barretto. 

Preparar os empresários
Mas, para que a previsão se concretize, Barretto afirma que as empresas precisão se preparar. Pensando nisso, o Sebrae realizará uma série de encontros até o dia 30 de agosto.

PUBLICIDADE

A medida visa discutir as oportunidades de negócios geradas pela Copa, identificar os requisitos e estratégias necessários para alcançá-las, além de promover a capacitação dos pequenos empresários.

“Temos de trabalhar para que a gente tenha um legado, com empresas com mais musculatura, maior longevidade e que possam crescer. Não queremos que a micro e pequena empresa fique sempre pequena”, disse, segundo a Agência Sebrae.

Somente no Distrito Federal, um levantamento identificou 539 oportunidades de negócios na capital federal. A expectativa, segundo o estudo, é que sejam criados no Distrito Federal 2.695 novas empresas e gerados 8.085 empregos.

“O crescimento de oportunidades e negócios será irreversível. É uma exposição muito grande para a capital federal do ponto de vista do turismo, que trará muitos benefícios”, finalizou o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.