Maioria dos desempregados brasileiros aceitaria trabalhar como prestador de serviços

Profissionais mais velhos aceitam mais facilmente trabalhar como prestador de serviços do que os jovens

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Trabalhar como prestador de serviço, sem registro na carteira, seria aceitável para 68,1% dos desempregados brasileiros, segundo pesquisa realizada pela Catho Online.

O levantamento destacou também que os homens estão mais predispostos a aceitar um novo trabalho como prestador de serviços do que as mulheres, com 72,9%, contra 63,8% entre elas.

Idade para trabalhar como prestador de serviço
Em relação à idade, os profissionais mais velhos aceitam mais facilmente trabalhar como prestador de serviços do que os jovens.

Aprenda a investir na bolsa

“Analisando estes dados, notamos que os profissionais têm preferido o retorno financeiro maior, porém em curto prazo, proporcionado pela condição de prestador de serviços. Percebemos também que os jovens se importam mais com o registro em carteira, até mesmo por experiência, porém, com a evolução da carreira, se sentem mais confortáveis em aceitar propostas como prestadores de serviços”, explicou o diretor de Marketing da Catho Online, Adriano José Meirinho.

Sobre a pesquisa
Foram entrevistados 25.400 participantes em março e abril de 2009. O estudo “O Desempregado Brasileiro” está em sua terceira edição e tem como objetivo conhecer o desempregado brasileiro, o motivo de seu desemprego e suas atitudes para retomar ao mercado de trabalho.