Maioria das empresas aplica algum tipo de teste em seus processos seletivos

Estudo da Catho revela que 71,7% dos testes visam identificar a personalidade, aptidões e competências dos candidatos

SÃO PAULO – A maioria das empresas ainda utiliza algum tipo de teste para selecionar seus candidatos. De acordo com um estudo realizado pela Catho, 52% das organizações praticam algum tipo de teste. O tipo de análise que é feita com os testes, por sua vez, varia bastante.

O teste mais aplicado visa identificar a personalidade, aptidões e competências dos candidatos. Segundo o levantamento, 71,7% dos testes tinham esta finalidade. O português e a comunicação também é um item muito avaliado, já que 46,2% dos testes eram para este fim.

“Além das competências técnicas, hoje as empresas já perceberam que o bom profissional é aquele que consegue manter um bom relacionamento com o chefe, com os colegas de trabalho e se adaptar à cultura organizacional”, explica o direito de marketing da Catho Online, Adriano Meirinho.

PUBLICIDADE

O que mais se avalia?
A inteligência e o QI do candidato também são itens de avaliação. Mais de 42% dos testes aplicados tinham esta finalidade. O levantamento ainda mostrou que 25% dos testes avaliavam os conhecimentos em informática do candidato, enquanto 13,3% tinham outros fins. Vale pontuar que as empresas, com frequência, aplicam mais de um teste no mesmo processo seletivo.

Nível hierárquico
A Catho ainda revelou que os testes são aplicados com maior frequência nas empresas de grande porte, 69,7%. Mas as micro e pequenas empresas, 29% delas, também fazem uso do recurso.

Também existe certa variação em relação a frequência em que os testes são aplicados, dependendo do nível hierárquico do candidato. Veja a tabela abaixo:

Nível
hierárquico 
Frequência em que
os testes são aplicados
Diretor 23,7%
Gerente38,2%
Coordenador46,5%
Analista57,5%
Assistente52,6%
Auxiliar52,3%
Estagiário60,3%

Outras formas de avaliação
Vale lembrar que as empresas não aplicam apenas os testes. A entrevista e as dinâmicas de grupo, por exemplo, vêm apresentando crescimento com relação aos anos anteriores.

“A dinâmica de grupo é uma etapa do processo seletivo que procura criar um ambiente favorável para que o profissional aja com a maior naturalidade possível, sem formalidades e textos prontos. Desta forma a empresa consegue avaliar de uma só vez diversos aspectos do perfil de cada candidato, como trabalho em grupo, liderança, persuasão, planejamento estratégico, raciocínio lógico, entre outros”, explica Meirinho.