Luta contra mudanças climáticas cria oportunidades de empregos “verdes”

Estudo da OIT aponta que, no Brasil, espera-se a geração de vagas na área de biomassa e de reciclagem

SÃO PAULO – Estudo realizado pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) revela que os esforços para combater as mudanças climáticas poderiam conduzir à criação de milhões de empregos verdes na próxima década. No Brasil, espera-se a geração de vagas na área de biomassa e de reciclagem, por exemplo.

“Na atualidade, a reciclagem e a gestão de dejetos empregam cerca de 10 milhões de pessoas na China e 500 mil no Brasil. Espera-se que este setor cresça com rapidez em muitos países frente ao aumento dos preços das matérias-primas”, diz o relatório intitulado “Empregos verdes: trabalho decente em um mundo sustentável e com baixas emissões de carbono”.

Muitos destes postos, por sua vez, podem ser perigosos e difíceis. As áreas que despertam preocupação são as de agricultura e reciclagem, em que é possível modificar com rapidez situações de baixos salários, insegurança nos contratos de trabalho e exposição a materiais perigosos.

Rumo ao trabalho verde decente

PUBLICIDADE

O relatório conclui que os empregos verdes reduzem o impacto ambiental das empresas e atividades econômicas a níveis sustentáveis. “Uma economia sustentável não pode continuar mantendo os custos ambientais e sociais. O preço que a sociedade paga pelas consequências de contaminação ou de doenças deve refletir-se nos preços do mercado. Portanto, os empregos verdes devem ser trabalhos decentes”.

O estudo recomenda uma série de alternativas para que se avance até um futuro mais sustentável, investindo em medidas de baixo custo que deveriam ser tomadas imediatamente e que incluem:

  • avaliação do potencial para empregos verdes e acompanhamento dos progressos para construir um marco de políticas e investimentos;
  • abordar o atual gargalo de qualificações profissionais e satisfazer as exigências de capacitação, porque a disponibilidade de tecnologia e recursos para investimentos somente pode se desenvolver de maneira eficaz com empresários qualificados e trabalhadores qualificados;
  • garantir a contribuição das empresas e do setor econômico na redução das emissões de gases com efeito estufa e com iniciativas para gerar emprego em locais de trabalho verdes.

Eles protegem a natureza

Diante da preocupação das empresas com o meio ambiente, abriu-se um mercado de trabalho voltado para essa área, tanto para técnicos quanto para pessoas do nível superior. Apesar de ser multidisciplinar, o que significa que abrange diversos assuntos, como direito e biologia, as companhias querem pessoas formadas em profissões relacionadas à natureza.

De acordo com a coordenadora da área de meio ambiente do Senac São Paulo, Luciana Furukawa, isso já é possível porque existem cursos bons relacionados à área no Brasil, como os oferecidos por faculdades públicas de gestão ambiental e engenharia ambiental, e os técnicos.

Os profissionais ligados ao meio ambiente devem empregar o termo sustentabilidade, que nada mais é do que aliar o desenvolvimento econômico à preservação do meio ambiente, além de ajudar nas questões sociais de forma a não prejudicar o abastecimento no futuro.

A pessoa que pretende atuar na área tem um mercado de trabalho aberto pela frente, já que as empresas estão se preocupando cada vez mais com a questão ambiental. “Mas precisa ser alguém que não pense que responsabilidade ambiental é apenas coleta seletiva. Tem que ser uma pessoa de mente aberta e que acompanhe a evolução das ações ambientais”.