Líder do futuro pode ser talento desperdiçado na equipe!

Empresas procuram pessoas que já tenham se destacado em outras, mas líder pode estar na própria companhia

SÃO PAULO – De acordo com o diretor de desenvolvimento organizacional da Caliper, George Brough, a maior parte dos recrutadores procura pessoas que já tenham se destacado em outras companhias para preencher altos cargos. Encontrar um talentoso líder, no entanto, pode ser bem mais fácil do que se imagina.

Isso porque, dentro das equipes, podem estar pessoas com capacidade para ocuparem a posição, mas que estão desvalorizadas. “Profissionais com alto potencial para liderança enfrentam problemas em posições como trainees ou supervisores”, disse.

Treinamento

Os próprios líderes devem estar preparados para treinar os profissionais para ocuparem cargos mais altos e para que tenham chance de crescimento.

Deixar para pensar no assunto quando surgir uma vaga, pode implicar na contratação de alguém de fora da empresa e, nesse caso, o período de adaptação pode significar perda de negócios. “O líder de uma empresa nem sempre é promessa de sucesso em outra cultura empresarial”, disse.

Para desenvolver a liderança dentro da empresa, ele recomenda que invista-se nos profissionais com treinamentos que lhe dêem motivação, como novos e desafiadores projetos, para que dentro de cinco ou dez anos estejam aptos a assumir cargos de liderança.

Dicas

De acordo com o Estudo Global de Capital Humano intitulado “Desvendando o DNA da Força de Trabalho Adaptável”, 74% das empresas da América Latina estão preocupadas com sua capacidade em formar líderes.

Para os líderes destas companhias, a dica é a seguinte: aproveite as pessoas que tenham grande vontade em aprender e proatividade no dia-a-dia.

Desenvolva o funcionário que sabe se adaptar às mudanças. Devido a pressões internas e externas, as empresas hoje são forçadas a ter capacidade de resposta a mudanças de acordo com as necessidades do mercado, ser mais flexíveis em como operam e mais focadas em suas competências básicas. Por isso, desenvolver uma força de trabalho “adaptável” se tornou essencial.

Analise ainda a capacidade de tomada de decisões das pessoas, prepare-os para agir em momentos difíceis e a ter mais autonomia, para poderem guiar outras pessoas. Treine-os para alguns desafios e boa sorte!

PUBLICIDADE