Corte

Justiça suspende demissões sem justa causa do Santander

Se o banco desobedecer a liminar que proíbe as demissões, pagará multa diária de R$ 100 mil

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (capital e região metropolitana de São Paulo) acatou na véspera a liminar ingressada pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e determinou que o Banco Santander suspenda todas as demissões sem justa causa feitas nesta semana.

De acordo com a desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, todas as dispensas que ainda não foram homologadas estão suspensas. Se a direção do Santander desobedecer a liminar que proíbe as demissões, o banco pagará multa diária de R$ 100 mil.

Para a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira, a justiça entendeu que a banco não foi transparente com os trabalhadores, nem com o Sindicato e não apresentou justificativa para a demissão em massa promovida durante esse mês.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo ela, foi um resultado importante porque evita as 405 demissões sem justa causa que o banco fez durante os últimos três dias e as demissões que iria fazer amanhã. “O Santander precisa negociar com o Sindicato para buscar alternativas para que não haja demissões. Todos os indicadores mostram que não há crise na instituição”, diz

Uma nova audiência foi marcada para a próxima terça-feira (11). As demissões não homologadas estão suspensas.

Confirmação
Ontem, o Santander confirmou a demissão de cerca de mil funcionários como parte de uma reestruturação organizacional do banco. Segundo a instituição a redução no quadro de funcionários representa aproximadamente 2%  de sua força de trabalho, de cerca de 55 mil empregados no país.

De acordo com o banco, as mudanças visam preparar o banco para acompanhar o processo de transformação do sistema financeiro nacional.