Justiça: mulheres ganham terreno no cenário jurídico brasileiro

Elas somaram 44% dos graduados em direito no ano passado e já são maioria na Justiça do Trabalho de São Paulo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O dia 8 de março está sendo marcado por boas notícias relacionadas ao público feminino.

De acordo com dados divulgados pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e pelo Ministério Público (MP), o número de mulheres que atuam na Justiça não pára de crescer. Na advocacia, dos 143 mil bacharéis que se tornaram advogados no ano passado, 44% eram mulheres, 4% a mais do que o observado em 2002.

Para este ano, o otimismo também é grande. Segundo o Cadastro Nacional dos Advogados, no primeiro bimestre do ano, dos 14 mil novos profissionais da carreira, 6 mil são mulheres (43% do total). Até dezembro último, no Brasil, 312.734 advogados eram homens e 248.085 mulheres, segundo a OAB Federal.

Mulheres no comando

Aprenda a investir na bolsa

Entre as maiores bancas brasileiras, é cada vez maior o número de mulheres no comando. Porém, segundo a vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo, Márcia Regina Machado Melaré, em entrevista à Revista Consultor Jurídico, ainda há muito espaço para conquistar.

“A mulher advogada, especificadamente, já atua nos grandes centros urbanos em igualdade com o colega advogado”, diz. “No entanto, longe dos grandes centros, por uma questão cultural, a advogada ainda luta para seguir carreira, ter um bom salário, qualificação e respeito”.