ESTUDO

Jovens são menos conectados nos países em desenvolvimento

Em grande parte dos países desenvolvidos, mais de 90% dos jovens são considerados nativos digitais

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Você é o tipo de pessoa que costuma afirmar que os jovens da atualidade já nascem conectados? Melhor reconsiderar essa ideia. Um estudo realizado recentemente pelo Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, em parceria com a União Internacional de Telecomunicações, na Suíça, mostra que, na verdade, menos de um terço dos jovens de todo o mundo são considerados “nativos digitais”.

Segundo a pesquisa, apenas 30% das pessoas com idade entre 15 e 24 anos gastaram pelo menos cinco anos utilizando a internet, critério utilizado para definir o nativismo digital.

Em grande parte dos países desenvolvidos, mais de 90% dos jovens são considerados nativos digitais. Esse é o caso da Coreia do Sul, onde 99,6% dos jovens são vistos dessa maneira. Entretanto, nos países em desenvolvimento este número ainda é considerado muito baixo. No Timor Leste, por exemplo, apenas 0,6% dos jovens são considerados nativos digitais.

PUBLICIDADE

Essa divisão digital existente entre países ricos e pobres não é novidade, mas o estudo identifica um aspecto novo sobre o fenômeno. De acordo com a pesquisa, no mundo desenvolvido não existe qualquer lacuna geracional entre os utilizadores da internet. Ou seja: nos países ricos, a maioria das pessoas está online.

Em contrapartida, essa lacuna entre gerações é muito mais evidente em países em desenvolvimento. Em lugares como o Burundi e o Timor Leste, por exemplo, os jovens estão quase três vezes mais propensos a serem usuários de internet do que a população geral adulta. Além disso, em muitos países africanos, asiáticos e latino-americanos a divisão entre os nativos digitais e o restante da população também é muito mais significativa do que nos países desenvolvidos.

 Veja mais matérias de Carreira no Universia.