Jovens: quais são os maiores erros na hora de escolher uma carreira?

Especialista cita falta de autoconhecimento e influências dos pais como elementos que atrapalham na escolha

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em determinado momento da carreira, muitos profissionais param, refletem e se questionam se realmente fizeram a escolha certa. Em alguns casos, a resposta não é animadora e inevitavelmente bate o arrependimento. 

Embora exista a possibilidade de mudar de área a qualquer momento da trajetória profissional, não é nada fácil começar tudo de novo, motivo pelo qual a maioria opta por simplesmente assumir o erro e continuar no mesmo campo. 

O grande problema, porém, é que os elementos fundamentais para ser bem sucedido em qualquer profissão são a dedicação e o comprometimento, que só existem se o profissional realmente gosta do que faz. 

Aprenda a investir na bolsa

Por isso, a escolha de qual profissão seguir é um momento fundamental, que pode diferenciar uma trajetória de sucesso de uma que simplesmente não sai do lugar. Com isso em mente, a InfoMoney, contando com a ajuda da coordenadora de Consultoria da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Veridiana Germano, listou alguns dos maiores desafios que fazem com que as pessoas errem na hora de escolher uma carreira.

Autoconhecimento – muitos elementos podem levar à escolha errada da profissão, mas o primeiro passo para evitar frustrações é o autoconhecimento. Veridiana explica que o indivíduo precisa se conhecer, saber seus pontos fracos e fortes, com o que se identifica e com o que não tem afinidade. Sem fazer essa reflexão, sem de fato se autoconhecer, as chances de escolher uma profissão na qual será bem sucedido no futuro são pequenas. 

Influências

Influência dos pais – há dois tipos importantes de influências, que podem levar ao erro na hora escolha. O primeiro tipo é o que vem de dentro da própria família. Os pais, na ânsia de fazer com que seus filhos sejam profissionais de sucesso, renomados e felizes, sugerem ou estimulam que eles sigam aquelas profissões tradicionalmente conhecidas como recompensadoras: Medicina, Direito e Engenharia, por exemplo.
“Os pais atrapalham quando idealizam uma profissão de sucesso e influenciam o filho”, explica Veridiana. Para se desenvolver em qualquer carreira, é preciso dedicação e, se o filho estiver apenas atendendo uma idealização dos pais, será difícil evoluir.

    Influências da mídia – além da família, a mídia pode exercer grande influência nos jovens. Séries de televisão, filmes, profissionais em destaque e mesmo as profissões da moda podem atrapalhar nessa escolha.

      Falta de orientação – os profissionais especializados são os mais indicados para trabalhar o autoconhecimento. Eles ajudam a identificar os pontos fortes e fracos, os interesses e as afinidades, livre de influências da família, por exemplo. Além disso, profissionais focados em orientação de carreira já sabem quais os erros que os jovens cometem e podem guiá-los de forma mais assertiva.

      PUBLICIDADE

      Retorno financeiro – não é novidade para ninguém que dar grande importância ao retorno financeiro de uma determinada profissão na escolha da carreira pode ser um grande erro. Primeiro porque o mercado muda muito e o que hoje é uma área de grande retorno financeiro pode não ser mais daqui a 5 anos.

      Mesmo no caso das profissões como Medicina, Direito e Engenharia, diz Veridiana, “se você não se identifica, você não vai se dedicar e o sucesso está diretamente relacionado com a dedicação”. A coordenadora lembra ainda que houve no Brasil uma época em que Química estava na moda, todos os pais queriam que seus filhos fossem engenheiros químicos ou químicos, mas, depois de alguns anos, o mercado mudou e a profissão deixou de ser tão bem remunerada.

      Falta de autoconfiança – alguns jovens até sabem o que querem e estão certos da decisão, porém, por não acreditarem neles mesmos, acabam optando por outra profissão, que julgam mais fáceis ou menos exigentes. Esse, porém, é outro fator que atrapalha e pode gerar grande arrependimento futuramente.

      Falta de informação – Jornalismo, Engenharia, Economia, Administração, Fisioterapia, enfim, qualquer profissão tem um leque de atuação muito maior do que os jovens podem imaginar. Estar bem informado a respeito das opções, ou seja, de todas as possibilidades que cada carreira pode oferecer, é fundamental no momento da escolha.

      Informar-se sobre o que é a profissão, como é o dia a dia do profissional, quais as possibilidades de carreira ajuda a fazer uma escolha melhor. Além disso, é importante que o perfil do profissional esteja de acordo com as exigências da carreira. Por exemplo, se o estudante quer ser dentista, mas não gosta de ficar sentado o dia todo, dificilmente se ajustará à rotina de trabalho.