Jovens estão sem trabalho por falta de qualificação, diz ministro

Segundo Lupi, 500 mil vagas não foram preenchidas nos últimos 12 meses porque candidatos não tinham qualificação suficiente

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou, na última terça-feira (19), que 500 mil vagas de emprego deixaram de ser preenchidas nos últimos 12 meses porque os candidatos não tinham qualificação suficiente. Para ele, esses postos poderiam ter sido ocupados por pessoas que estão chegando ao mercado de trabalho.

Durante seminário “Uma Agenda de Trabalho Decente para Jovens”, o secretário-geral da Presidência da República, Luiz Dulci, afirmou que não devem ser adotadas políticas de empregos específicas para os jovens. Lupi concorda com a afirmação: “emprego é emprego, e os jovens devem estar qualificados para disputá-los no mercado de trabalho”, afirmou.

Aumentar a qualificação

Segundo a Agência Brasil, Dulci afirmou que a criação de empregos é importante para gerar renda e fortalecer a cidadania, uma vez que a juventude acaba se beneficiando do clima geral de desenvolvimento econômico do País.

Aprenda a investir na bolsa

Mas ele também ressalta que junto com o crescimento econômico, há a necessidade de melhorar a qualificação profissional. Segundo o secretário-geral, o governo pretende beneficiar 3,5 milhões de jovens até o final de 2010 com cursos profissionalizantes e treinamento de informática para aqueles que não concluíram a 8ª série.

Empregos

De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados na última terça-feira (19) pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), nos sete primeiros meses do ano, o estoque de emprego cresceu 5,40%, em relação a dezembro de 2007, o que corresponde à geração de 1,564 milhão de vagas. Já no sétimo mês de 2008, foram criados 203.218 empregos com carteira assinada.

Em julho, foi registrado um crescimento de 0,67% no número de contratos formais de trabalho, em relação a junho deste ano. No comparativo com o mesmo mês de 2007, houve aumento de 60%. O aumento em relação a junho de 2008 é o maior entre os dois meses, na série histórica do Caged.