primeira parcela 13º

Já recebeu a primeira parcela do 13º? Veja onde investir

Especialistas em finanças ouvidos pelo InfoMoney indicam quais são as melhores opções de investimentos para quem quer aplicar este dinheiro extra agora

SÃO PAULO – Na metade do ano, é comum que algumas empresas antecipem a primeira parcela do 13º salário de seus colaboradores. Segundo especialistas, para quem tem alguma pendência financeira, a primeira parcela do 13º é um bom momento para quitar dívidas e antecipar parcelas de financiamentos, por exemplo.

Mas, se você está com as contas em dia, o ideal é que o destino deste dinheiro seja alguma aplicação financeira, para que você não perca seu poder de compra e consiga acumular um montante ainda maior nas festas de final de ano.

Na opinião do professor do Ibmec-RJ, Gilberto Braga, o Tesouro Direto é uma opção interessante neste momento, por conta do baixo custo da aplicação e da rentabilidade que oferece.

PUBLICIDADE

É importante lembrar que existem vários tipos de títulos comercializados pelo Tesouro Direto, cada um indicado para determinado objetivo e cenário econômico.

Para o gestor da Lecca, Georges Catalão, mesmo que a taxa de juros esteja no menor nível da história, este pode ser um bom momento para investir em títulos indexados à Selic, as LFTs (Letras Financeiras do Tesouro). “Achamos que é difícil o Banco Central continuar reduzindo os juros por muito tempo, dada a expectativa de inflação no ano que vem. Por isso, entre as opções de títulos existentes, aqueles atrelados à Selic oferecem a melhor relação risco/retorno”, diz o gestor.

Para quem acredita que a inflação deve ser alta e quer proteger o investimento do avanço dos preços, as NTN-B (Nota do Tesouro Nacional- Série B) também são uma opção. É importante lembrar, no entanto, que estes títulos são mais voláteis e por isso o ideal é adequar o prazo do investimento com o seu objetivo. Assim, resgatando apenas no final da validade do título, você garante aquela rentabilidade que foi acordada no momento da compra.

Para o especialista da MoneyFit, André Massaro, em alguns casos, a poupança ainda continua sendo um alternativa. “A poupança é sempre um bom investimento e o brasileiro a prefere por ser mais tranquila e segura”, afirma Massaro.

Gilberto Braga também defende a poupança como um bom investimento a curto prazo. “Ela passa mais segurança e ainda é uma opção atraente”, explica.

Já a Bolsa de Valores, segundo o professor, é mais recomendada para os investidores que aceitam correr riscos e que não possuem expectativas a curto prazo.

PUBLICIDADE

E quem não quer investir?
No caso daqueles que não pretendem investir sua primeira parcela do 13º salário, a dica do professor da Ibmec é fazer um planejamento antes de gastar esse dinheiro, para não ficar com a conta zerada antes das festas de final de ano.

“Muitas pessoas têm dado o 13º como entrada em veículos, fazendo parcelamentos de até 24 vezes. Essa é uma boa alternativa”, diz. Além dos automóveis, ele indica a possibilidade de se comprar eletroeletrônicos antes dos impostos aumentarem. “São boas opções para quem quer gastar agora”.