Intervalo na carreira: perda de emprego é principal preocupação no mundo

Pesquisa realizada com 22 mil pessoas em 22 países mostrou que item está à frente de crime, pobreza e educação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A crise financeira global tem deixado você um pouco apreensivo em relação ao seu emprego? Se a resposta for sim, saiba que não é o único. Uma pesquisa divulgada na quinta-feira (8) mostrou que o desemprego é a principal preocupação global.

No entanto, quando analisados os países do grupo BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), a preocupação com a perda do emprego cai para a quarta posição, atrás de corrupção e escândalos públicos; crime e violência; e pobreza e desigualdades sociais.

Na América Latina, por sua vez, a preocupação com o emprego é apenas a quinta, perdendo para crime e violência; pobreza e desigualdades sociais; corrupção e escândalos públicos; e educação. A pesquisa online, realizada pela Ipsos Global Public Affairs, ouviu 22 mil pessoas de 22 países que respondem a 75% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial.

Os cinco mais

Aprenda a investir na bolsa

Confira abaixo quais são as principais preocupações mundiais, dos países da América Latina e do BRIC:

PosiçãoMundialAmérica LatinaBRIC
DesempregoCrime e violênciaCorrupção e escândalos políticos ou financeiros
Pobreza e desigualdades sociaisPobreza e desigualdades sociaisCrime e violência
Crime e violênciaCorrupção e escândalos políticos ou financeirosPobreza e desigualdades sociais
Corrupção e escândalos políticos ou financeirosEducaçãoDesemprego
Cuidados com a saúdeDesempregoCuidados com a saúde

Fonte: Ipsos Global Public Affairs

Brasil

De acordo com os dados, 32% dos brasileiros estão satisfeitos com a situação do País, enquanto em outubro de 2007 a proporção era de 19%. O avanço foi o maior registrado no período, de 13 pontos percentuais, o mesmo registrado na França: de 23% para 36%.

Apenas para comparação: a Índia tem um grau de satisfação de sua população de 53%, ante 60% na apuração feita em 2007, enquanto que a Rússia teve uma satisfação de 46% na contagem recente, contra 64% na anterior.