Intercâmbio: existe idade ideal para viajar e aprender inglês?

Para especialistas, no ensino médio, é a melhor opção; se for fazer durante a graduação, faça nos anos iniciais

SÃO PAULO – Os intercâmbios são largamente conhecidos como sendo ótimas opções para turbinar o inglês. A maioria das empresas, inclusive, se interessa bastante pelos profissionais que tenham realizado um programa desse tipo. Mas será que existe o momento ideal para ir ao exterior estudar outra língua, e, mais do que isso, será que aos 30 é tarde demais?

Especialistas que trabalham com desenvolvimento de carreiras afirmam que o momento mais interessante para fazer um intercâmbio é quando se está no ensino médio. A lógica é a seguinte: o mercado cada vez mais exige dos profissionais inglês fluente, então, nada melhor do que estudar a língua antes de iniciar a carreira, ou seja, antes de entrar no mercado de trabalho.

Além disso, quanto mais jovem, mais fácil adquirir fluência em outra língua, explica o sócio e diretor da RH Fácil, Marcos Simões. “Fazer um intercâmbio no ensino médio é o melhor cenário”, diz. A professora da pós-graduação em Administração de Empresas da IBE-FGV, Rosana Barné, concorda. “É preciso saber que, quando você for entrar no mercado de trabalho, o inglês será fundamental”.

PUBLICIDADE

Na graduação
Mas, se não foi possível fazer no ensino médio, na graduação também está valendo. Nesse período, porém, Rosana destaca que o jovem poderá ter de optar por um ou outro caminho. “Na faculdade, você tem outras perspectivas. Pode estar em um estágio bacana ou em uma empresa júnior”, pondera a especialista.

Se puder fazer durante a graduação, a sugestão é que faça ainda nos anos iniciais. E, se não for possível fazer nem no ensino médio, nem na graduação? Rosana explica que, apesar de ser aconselhável fazer o intercâmbio ainda no ensino médio, o profissional deve pensar que a idade não é tudo. O importante mesmo é avaliar suas necessidade e entender o que você acha fundamental fazer.

Um pouco depois
Os profissionais na faixa etária de 28 a 32 anos, por exemplo, estão em um momento em que alguns pontos da carreira estão sendo definidos, e, principalmente, já têm uma ideia mais clara da sua trajetória profissional e já sabem aonde querem chegar. Assim, se entender que falta o inglês para conquistar aquela oportunidade que deseja, a sugestão é que vá e faça.

“Idade ideal para fazer um intercâmbio não existe, o que existe é o momento que você acha fundamental fazer”, diz Rosana. A desvantagem, porém, de fazer um intercâmbio nessa idade é que pode ser mais difícil, exigir um esforço maior do estudante, pela própria dificuldade imposta pela idade. “Já não é mais tão fácil aprender”, diz Simões.

Tal desvantagem, entretanto, não deve ser vista como uma barreira, apenas como um fator que deverá ser superado. Fazer intercâmbio na faixa dos 30 anos, por outro lado, conta com uma importante vantagem. Além de adquirir fluência na língua inglesa, faz o profissional sair da zona de conforto e, quem sabe, chacoalhar sua carreira.

De acordo com Rosana, muitos profissionais nessa idade simplesmente se encontram acomodados e estagnados e um intercâmbio pode trazer novas forças, novas ideias e, principalmente, novas perspectivas.

PUBLICIDADE

Falta o inglês
Os especialistas entrevistados também concordam em outro ponto: sobre as perspectivas positivas para o Brasil nos próximos anos. O País está em crescimento, atraindo cada vez mais um grande número de multinacionais. Os próprios eventos da Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada em 2016 dão sinais de que o mercado será positivo.

Isso quer dizer que, para adquirir uma boa oportunidade, o inglês fluente será, mais do que já é atualmente, essencial. “Hoje, um dos maiores problemas dos profissionais é o idioma. Tem gente muito experiente, muito capacitada, mas que não tem inglês”, diz Rosana. Simões tem a mesma opinião. Rosana ainda explica que “as multinacionais preferem pegar gente com menos experiência, mas que tenha o idioma”.

Assim, independentemente da idade, lembre-se de que os próximos anos vão ser ótimos para o Brasil; serão anos de muitas oportunidades de emprego, e ter o inglês vai permitir que você cresça e tenha mais chances de conquistá-las.