Início de carreira: conheça formas de financiar seus estudos!

Governo oferece programas que financiam até 100% do valor das mensalidades; ainda existem bolsas da própria faculdade

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No início da vida profissional, muitas pessoas pretendem fazer uma faculdade, mas as condições financeiras e o vestibular concorrido para universidades públicas impedem o ingresso no curso dos sonhos. Para se ter uma idéia, de acordo com dados divulgados pela Fuvest, o curso de Jornalismo chega a ter 41,63 candidatos disputando uma mesma vaga.

Diante do fato de ter que comprar livros, materiais e arcar com as mensalidades, muitas pessoas acabam por desistir de prestar um vestibular para uma universidade particular. Antes de optar por não ingressar neste tipo de instituição, no entanto, saiba que existem formas de financiar os estudos.

Uma alternativa é por meio do Governo, que custeia integralmente ou parcialmente as mensalidades e, depois que termina a universidade, já no mercado de trabalho, você paga o que deve.

Financiamento estudantil

Aprenda a investir na bolsa

Atualmente, o financiamento do Fies é de 50% da mensalidade cobrada na instituição de ensino superior (IES) para os estudantes que não são bolsistas parciais do ProUni (Programa Universidade para Todos) e que precisam passar por processo seletivo. Já para aqueles que são bolsistas parciais do ProUni e que não passam por seleção, o percentual cai para 25%. O valor não financiado é pago diretamente pelo estudante à universidade.

Com a Lei nº 11.552, o Fies poderá financiar até 100% da mensalidade, inclusive dos alunos de cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado), além de oferecer seis meses de carência, contados a partir da data de conclusão do curso, para que o estudante comece a quitar o crédito.

Quanto aos juros, para os contratos celebrados a partir de 1º de julho de 2006, a taxa é de 3,5% a.a, para cursos de licenciatura, pedagogia, normal superior e cursos superiores de tecnologia; e de 6,5% a.a, para os demais casos. É exigida a apresentação de um fiador com idoneidade cadastral e renda comprovada de, no mínimo, o dobro da mensalidade integral do curso financiado. Durante a utilização do financiamento, o estudante pagará, a cada três meses, parcelas de juros limitadas ao valor máximo de R$ 50.

Universidade para Todos

No programa, só podem candidatar-se os estudantes que realizaram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Para 2008, a pontuação mínima é de 45 pontos para conseguir a bolsa. O interessado não precisa prestar vestibular ou estar matriculado em uma universidade. A instituição escolhida precisa fazer parte do programa para que o benefício seja oferecido.

O ProUni oferece bolsa integral para estudantes que possuem renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 570); bolsa parcial para os que têm renda familiar per capita de até R$ 1.140; e de 25% para aqueles com a mesma renda familiar, mas para cursos com mensalidades até R$ 200.

Para o primeiro semestre do próximo ano, estão disponíveis 105.953 bolsas integrais e parciais em mais de 1.400 instituições. O estudante interessado em obter o benefício tem até as 21 horas do dia 14 de dezembro para se inscrever, pela internet (http://prouni-inscricao.mec.gov.br/prouni/).

Crédito universitário

PUBLICIDADE

O crédito educacional é uma possibilidade para aqueles que não conseguiram apoio financeiro do governo para ingressar na faculdade. A modalidade ainda engatinha no Brasil: no ano passado, foram destinados R$ 21 milhões aos estudantes de graduação e pós-graduação – menos de 1% do total disponível no país.

A Ideal Invest, por exemplo, oferece o PraValer, por meio do qual é possível financiar os estudos em até o dobro do período do curso. De acordo com estudo realizado pela empresa, há 4,5 milhões de jovens que gostariam de entrar na faculdade, mas não têm dinheiro suficiente para arcar com as mensalidades. As taxas de juros são de, no máximo, 1,5% ao mês.

Para evitar que os alunos fiquem inadimplentes, as universidades ainda oferecem bolsas integrais ou parciais. Após escolher uma instituição de ensino de qualidade para estudar, informe-se sobre as possibilidades que o próprio local oferece. Parentes estudando na mesma instituição, por exemplo, podem render alguns descontos.