Inflação na zona do euro é de 1,2% em fevereiro; salários têm queda recorde

Variação anual dos preços ao consumidor mantém-se no patamar mais baixo dos últimos 10 anos

SÃO PAULO – Novos sinais de desaquecimento da economia foram revelados pelo escritório de estatísticas da União Européia nesta segunda-feira (16). A inflação nos países do bloco manteve-se no patamar mais baixo de sua história, ao passo em que o rendimento do trabalhador apontou o maior recuo da série.

De acordo com o órgão sediado em Luxemburgo, os preços ao consumidor na zona do euro subiram 1,2% no último mês, frente aos valores registrados um ano antes. Os dados revelam a manutenção da inflação em patamar próximo ao mínimo dos últimos 10 anos. Em janeiro, a variação havia sido positiva em 1,1%.

Bolso mais vazio

A respeito da renda do trabalhador, também foram dados sinais de recessão. Segundo relatório separado da instituição, houve queda de 0,3% na folha de pagamento dos trabalhadores da área em que vigora a moeda única.

PUBLICIDADE

Os dados referem-se à variação do terceiro para o quarto trimestre de 2008 e apontam para a maior queda dos salários já registrada desde o início das pesquisas, em 1995, e a segunda redução consecutiva do indicador.