Indústria registra a variação salarial mais alta de janeiro, mostra Datafolha

Na análise geral, dos 350 cargos abrangidos, 76% tiveram reajustes aplicados que variaram de 1,41% a 11,12%

SÃO PAULO – Enquanto no mercado geral a variação média acumulada dos salários foi de 1,57%, na comparação com dezembro último, na indústria, a alta foi de 3,75%, segundo apurou o Datafolha.

Os dissídios dos Metalúrgicos de São Paulo, Mogi das Cruzes e regiões tiveram seus índices definidos na data-base (novembro de 2008), para serem aplicados em janeiro último.

Mercado geral

Na análise do conjunto dos segmentos, dos 350 cargos abrangidos, 76% tiveram reajustes aplicados que variaram de 1,41% (complemento do dissídio dos enfermeiros) a 11,12% (dissídio dos metalúrgicos de Osasco e região).

PUBLICIDADE

Dos dez grupos de ocupações pesquisados, a categoria “Ocupações da Produção” teve a maior variação média: 3,61%. Em seguida, aparecem “Chefias” (1,61%) e Ocupações de Nível Superior (1,44%).

Por fim, das 104 empresas pesquisadas pelo Datafolha, 24% concederam reajustes. Confira na tabela a variação média dos salários, por segmentos:

Segmento Variação dos salários (jan. contra dez.)
Comércio0,38%
Construção Civilzero
Indústria3,75%
Serviços0,86%

Renda da população

Segundo simulação do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a renda manterá o ritmo de crescimento este ano, somente se o PIB (Produto Interno Bruto) expandir 4%.

Explica-se: analisando o crescimento do PIB dos últimos cinco anos, o Ipea simulou as variações de renda tendo como base três estimativas de crescimento para a economia do País: de 1%, de 2,5% e de 4%.

Como a participação da renda do trabalho no PIB vem crescendo desde 2004, o Ipea espera que este ano ela cresça 0,2%, na melhor das hipóteses (com crescimento do PIB de 4%).

Caso o PIB cresça 1%, no pior cenário da simulação, a participação sofrerá queda de 3%. Já com uma alta no PIB de 2,5%, a participação terá uma queda menor, de 0,6%.