Indústria paulista fecha 3,5 mil postos de trabalho em julho, aponta Fiesp

De acordo com pesquisa, nos últimos 12 meses, 199,5 mil postos de trabalhos foram fechados

SÃO PAULO – A indústria paulista registrou a perda de 3,5 mil postos de trabalho em julho, o que representa uma queda de 0,16% no nível de emprego, frente ao mês anterior. Considerando o ajuste sazonal, o recuo é um pouco maior, de 0,32%. Este foi o pior resultado para o mês de julho desde 2006.

Nos últimos 12 meses, foram fechados 199,5 mil postos de trabalho, um recuo de 8,29% no nível de emprego, de acordo com pesquisa do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgada nesta quinta-feira (13).

O levantamento também revelou que, entre dezembro do ano passado e julho deste ano, a indústria paulista fechou 58 mil postos de trabalho.

Análise setorial

PUBLICIDADE

Dos 22 setores analisados, seis apresentaram desempenho positivo em julho, ante o mês anterior, sendo que os maiores destaques foram Confecção de artigo de vestuário e acessórios (+1,8%), Produtos Diversos (+0,8%), Couros e Fabricação de Artigos de Couro, Artigos de Viagem e Calçados (+0,7%) e Produtos de Borracha e de Material de Plástico (+0,5%).

Por outro lado, as variações negativas foram registradas em 13 ramos de atuação, com destaque para Fabricação de Coque, de Produtos Derivados do Petróleo e de Biocombustíveis (-1,5%), Celulose, Papel e Produtos de Papel (-1,4%), Máquinas e Equipamentos (-1,2%) e Produtos de Madeira e Veículos Automotores, Reboques e Carrocerias (-0,8% cada).

No acumulado do ano até julho, apenas quatro segmentos apresentaram resultados positivos: Fabricação de Coque, de Produtos Derivados do Petróleo e de Biocombustíveis (+35,3%), Produtos Alimentícios (+20,8%), Produtos Diversos (+1,8%) e Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos (+0,8%).

Entre os resultados negativos, destacam-se Outros Equipamentos de Transporte, exceto Veículos Automotores (-20,6%), Metalurgia (-12,8%) e Equipamentos de Informática, Produtos Eletrônicos e Ópticos (-10,2).

Por regiões

Na análise regional, o levantamento revela que, das 36 diretorias pesquisadas, na comparação com junho, 14 apresentaram resultados positivos, quatro ficaram estáveis e 18 tiveram desempenhos negativos no que se refere ao emprego.

Matão foi o município líder em contratações em julho, com o acréscimo de 13,8% em sua mão-de-obra industrial, influenciada pelos setores de Produtos Alimentares (27,27%) e Vestuário, Confecções e Acessórios (15,38%).

Jacareí foi a segunda colocada do ranking no mês de julho, com crescimento de 1,22%, puxada pelos segmentos de Produtos Químicos (1,22%) e Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (0,25%).

Na contramão dos resultados positivos, a cidade que mais demitiu no sétimo mês do ano foi São Carlos (-2,48%), influenciada pelo desempenho negativo dos setores de Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (-10%), e Minerais não metálicos (-1,51%).

Em seguida, surge a cidade de Santa Bárbara D’Oeste, com recuo de 1,79%, devido aos resultados negativos do setor de Máquinas e Equipamentos (-8,05%) e Borracha e Material Plástico (-1,21%).